-->

17 de maio de 2016

Quadrilha rende vigilantes, explode carro-forte e foge com dinheiro

Cerca de oito criminosos atacaram e explodiram um carro-forte nesta terça-feira, 17, no km 28 da CE-226, em Jaguaribe, interior do Ceará. Na ação, a quadrilha rendeu os vigilantes e fugiu levando o dinheiro que era transportado para Iguatu e as armas dos profissionais de segurança.

Conforme a Polícia Militar (PM) da região, um veículo modelo Suzuki Vitara ultrapassou o carro-forte e efetuou disparos, que atingiram o vidro. Os estilhaços feriram o rosto do vigilante que conduzia o carro-forte.

Em seguida, o vigilante parou o carro-forte. Os criminosos renderam os seguranças, tomando as armas do grupo, revólveres calibre 38 e escopetas calibre 12, e explodiram o veículo. A quadrilha pegou o dinheiro e empreendeu fuga.

O Vitara foi queimado nas proximidades da ponte do sangradouro do açude Feitiçeiro, ainda em Jaguaribe. A Polícia ainda não possui informações sobre os outros veículos usados pela quadrilha.

Segundo relatos dos vigilantes aos policiais, os tiros que atingiram o parabrisa teriam sido de fuzil .50, arma de fogo capaz de quebrar vidro blindado. Porém, a PM não encontrou cartuchos deflagrados do fuzil citado.

O POVO Online

Roubo a Posto de Combustíveis em Tabuleiro do Norte


Nesta segunda-feira, dia 16, por volta das 22h00min, foi informado via 190, que o Posto de Combustível Alternativo, que fica localizado na Avenida São José, bairro Vila José Mendes, foi assaltado por 02 (dois) homens armados, numa motocicleta de cor vermelha, que levaram do frentista do posto uma quantia de dinheiro não informada, bem como 01 (um) aparelho celular de um cliente. A PM realizou diligências nas imediações, porém não logrou êxito.

Com Informações do 1ºBPM

IJF inicia a semana com 68 pacientes nos corredores

Acompanhantes de pacientes relatam que o
corredor próximo aos elevadores,
que ainda não era usado para alocar enfermos,
 já estava sendo usado ontem
Os corredores do Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), maior hospital de urgência e emergência do Ceará, continuam lotados com pacientes sobre macas. Na manhã de ontem (16), acompanhantes indignados com a situação enviaram fotos ao Diário do Nordeste que registram a situação na unidade municipal.

Dessa vez, as muitas macas postas nos corredores chegaram a impedir o acesso aos elevadores de serviço, onde, segundo os acompanhantes dos pacientes, não era comum a presença de doentes. Além deste descaso, também foi relatado que apenas dois elevadores estão funcionando e que o serviço de Tomografia Computadorizada (TC) só está em atividade para a realização de exames craniais.


Conforme o "Corredômetro das Emergências" - instrumento do Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará e da Associação Médica Cearense (AMC) que mede a lotação das unidades públicas de saúde de Fortaleza e de outros hospitais do Estado -, havia 68 pessoas instaladas nos corredores do IJF até a manhã desta segunda-feira, o que representa aumento comparado com a última sexta-feira (13), quando havia 60 pacientes nessa situação.

No entanto, a situação exposta pelos acompanhantes não é exclusiva do IJF. Segundo o levantamento das instituições, outros cinco hospitais do Ceará estão superlotados, sendo o Hospital Geral de Fortaleza (HGF) aquele que apresentava o maior número de pacientes nos corredores: até o fim da tarde de ontem (16) eram 80 pessoas.

Em seguida, vinham o Hospital de Messejana, com 56 pacientes; o Hospital Regional do Cariri, com 56; o Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), com 29; e o Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto, com 22 pessoas. Com isso, há um total de 311 pacientes no corredômetro

Segundo o Dossiê da Saúde 2016, elaborado pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço de Saúde de Fortaleza (Sintsaf) e divulgado no fim de março deste ano, os pacientes espalhados pelos corredores do IJF correm o risco de contrair infecções pós-operatórias por falta de alocação adequada.

A presidente da Associação dos Servidores do IJF (Assijf), Ana Miranda, salienta que a superlotação da unidade é inadequada para pacientes, acompanhantes e para os próprios profissionais da saúde. "Quando você trabalha com superlotação, você se sente no dever de atender mais do que pode. Esse descaso nos corredores impossibilita um bom trabalho da equipe de enfermagem, o serviço fica insatisfatório e não é capaz de atender às necessidades personalizadas do paciente", acrescenta. Ela relata que muitos acompanhantes vêm do Interior do Ceará e não têm condições de pagar alguma forma de hospedagem. Por isso, chegam a dormir sobre papelões estendidos no chão. Tanto as macas quanto esses dormitórios improvisados atrapalham o transporte de materiais hospitalares e a movimentação de outros pacientes dentro das dependências da unidade.

Problema externo

"O problema da superlotação passa por fora do IJF, não adianta achar que o problema é interno. Ele passa pela atenção básica e pelos hospitais de média complexidade, porque o IJF é de alta complexidade. É necessária uma reestruturação dos hospitais secundários, para que eles tenham condições de atender a suas demandas", afirma.

A assessoria de comunicação do IJF informou que, desde 2013, áreas do hospital passaram por reformas e readequações para melhor atender a vítimas de trauma acolhido na Emergência. Sobre os registros dos acompanhantes, o Instituto esclarece que os pacientes que aguardavam, próximo à saída de Emergência, foram transferidos para outras unidades.

Em resposta, a assessoria do IJF ainda ressaltou que "nos setores prioritários, como no Núcleo de Imagens, responsável por tomografias e radiografias, manutenções preventivas periódicas garantem a continuidade do serviço e diminuem o tempo de permanência do usuário no hospital. Desde o início do processo, não há relatos de pacientes do IJF sem acesso a exames".

Locomoção

A nota traz ainda a afirmativa de que manutenções preventivas e corretivas também são realizadas nos quatro elevadores principais do prédio, garantindo locomoção segura aos usuários. Com isso, foi dito à reportagem, que, durante os trabalhos, em nenhum momento o transporte de pacientes é impossibilitado, já que os procedimentos são realizados de forma intercalada.

Sobre os demais hospitais superlotados, estes de responsabilidade da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), a Pasta diz que a demanda de pacientes é crescente em função de diversos fatores. A longevidade é um dos fatores elencados pela Secretaria junto à afirmação que este é um período do ano, propício para o aumento de casos de doenças, entre elas as infecciosas e, isto, resulta em uma sobrecarga "as emergências dos hospitais e as UPAs 24h. O aumento de pacientes nas UPAs 24, em Fortaleza, chega a 30%. Em média, estão sendo feitos 500 pacientes em cada UPA, na capital". 

FIQUE POR DENTRO

Crise na Saúde é agravada em maio de 2015

A crise na Saúde Pública no Estado do Ceará foi agravada em maio de 2015, a partir da divulgação dos números de pacientes atendidos nos corredores dos principais hospitais públicos do Estado. Os relatos culminaram na saída do então secretário da Saúde do Estado, Carlile Lavor. O governador do Ceará, Camilo Santana, chegou a encontrar-se a presidente Dilma Rousseff, e conseguiu o incremento anual de R$ 113 milhões para o orçamento das unidades de saúde pública.

Além disso, na tentativa de amenizar o problema, a Prefeitura de Fortaleza anunciou, no início de junho do mesmo ano, a construção do IJF 2, que deve ofertar 206 novos leitos, distribuídos em quatro pavimentos. No mesmo período, o prefeito Roberto Cláudio anunciou a realização do concurso público para a contratação de 110 médicos, além da reforma dos três frotinhas: Messejana, Parangaba e Antônio Bezerra.

Diário do Nordeste

Temer diz que não vai tirar direitos adquiridos

Na ocasião, o ministro Henrique Meirelles disse que o desemprego deve chegar a 14% neste ano. O anúncio chamou a atenção dos sindicalistas (FOTO: CAROL DOMINGUES)
Brasília. Em reunião realizada ontem com centrais sindicais para debater as reformas trabalhistas e previdenciárias, o presidente interino Michel Temer reforçou que não tem o objetivo de "alterar os direitos adquiridos pelos cidadãos". A declaração de Temer, no entanto, não está em sintonia com o que pensa seu ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que também responde agora pela Previdência.

Para Meirelles, o conceito de direito adquirido não está acima da Constituição. "A ideia é que se respeitem direitos adquiridos, embora seja importante dizer que direitos adquiridos não prevalecem sobre a Constituição". Meirelles afirmou que "o importante é preservar o maior direito, que é receber a aposentadoria". A frase se refere ao fato de a Previdência poder ficar sem dinheiro para pagar os benefícios se não houver reformas.

Além de Michel Temer e Henrique Meirelles, a reunião de ontem contou ainda com a participação dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Ronaldo Nogueira (Trabalho), além de integrantes da Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e da Nova Central Sindical de Trabalhadores. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) não participaram do encontro de ontem. A CUT disse que "não reconhece golpistas como governantes". A CTB também afirmou que não se reúne com "governo golpista".

Grupo de trabalho

Após a reunião, o presidente interino decidiu criar um grupo de trabalho com as centrais sindicais para apresentar, em 30 dias, uma proposta sobre a reforma da Previdência.

Cada entidade terá dois representantes no colegiado, que terá a primeira reunião amanhã (18). Após o encontro, o presidente da União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, disse que vai tentar sensibilizar as demais centrais a participar dos debates, porque, segundo ele, Michel Temer disse não querer deixar como legado a retirada de direitos dos trabalhadores.

Desemprego em 14%

Na ocasião, o ministro Henrique Meirelles disse que o desemprego deve chegar a 14% este ano. O anúncio chamou a atenção dos sindicalistas. Segundo a última pesquisa da Pnad Contínua, feita pelo IBGE, o desemprego é de 10,9%. Há um ano - janeiro, fevereiro e março de 2015 - o desemprego era de 7,9%.

Legislação

Após o encontro, o ministro Ronaldo Nogueira (Trabalho) afirmou que o governo quer chegar a um acordo com as centrais sindicais sobre a necessidade ou não de se propor mudanças na legislação trabalhista brasileira.

Nogueira disse que a orientação do presidente interino Michel Temer é preservar direitos adquiridos e buscar um consenso dentro do grupo. "A ideia é chegar a uma conclusão de ambos (os lados), se tem que fazer alteração ou não. Talvez o grupo de trabalho, com os dados que tenha, chegue à conclusão de que não tem de promover nenhuma reforma", afirmou Nogueira, que completou: "Nada tem de ser impositivo".


O ministro disse ainda que a recuperação do emprego passa pela retomada da confiança na economia brasileira e que os dados sobre vagas com carteira assinada devem melhorar nos próximos meses.

Diário do Nordeste

Professores estão em greve há 22 dias; 41 escolas ocupadas

Alunos cobram melhorias e avaliam que as propostas já anunciadas pleo Estado, como a reforma de unidades, não resolve os problemas ( foto: Kiko Silva )

Após 22 dias de greve dos professores da rede pública, o secretário de Educação do Ceará, Idilvan Alencar, recebeu, ontem, o sindicato Apeoc (Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais do Ceará), em nova rodada de negociação visando definir os rumos do movimento. Apesar de se reafirmar os compromissos assumidos no encontro anterior, segundo disse o presidente do Sindicato, Anísio Melo, não houve avanço em relação ao item principal da pauta: o reajuste salarial da categoria. A continuidade da greve será definido em assembleia marcada para amanhã.

"Ele referenciou todos os pontos da merenda escolar, sobre a manutenção das escolas, sobre o reajuste diferenciado via Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Ele assinou portaria para agilizar os recursos nas unidades e reafirmou o compromisso do governador em não aderir ao PLC 257 (que renegocia a dívida do Estado com a União, com a imposição de ajuste fiscal que pode refletir nos servidores), mesmo que ele passe no Congresso Nacional", ressaltou o professor. A expectativa da categoria, com base em promessa da gestão, é que seja anunciado um posicionamento sobre o reajuste no dia 6 de junho. Os professores pedem aumento de 12,67%.

No último dia 6, a greve foi considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), que pediu a suspensão do movimento. Para o desembargador Durval Aires Filho, autor da decisão, a greve não atendeu as determinações legais já que havia uma negociação em curso no ato de sua deflagração. O sindicato Apeoc protocolou recurso na última quinta-feira (12) na tentativa de cassar a liminar.

Enquanto isso, o movimento de ocupação das escolas, por parte dos estudantes, que hoje completa 20 dias, vem crescendo. Até ontem, segundo levantamento da Seduc, 41 unidades estavam ocupadas no Ceará. Destas, 31 estão localizadas em Fortaleza, três em Maracanaú, três em Juazeiro do Norte, dois no Crato, uma em Crateús e uma em Acaraú. Entre as reivindicações, os estudantes pedem melhor estrutura das unidades, maior qualidade na merenda escolar e passe livre estudantil.

A Escola de Ensino Fundamental e Médio Noel Hugnen de Oliveira Paiva, no bairro Lagamar, e ocupada há cerca de uma semana, é um dos exemplos do movimento estudantil na Capital. Além das pautas unificadas ao movimento geral, os alunos apontam demandas específicas, como o investimento por parte da Seduc no Ensino Médio.

Responsabilidade

"Tentaram municipalizar a escola no ano passado. Os alunos se juntaram e conseguiram manter o ensino médio, mas a Seduc jogou a responsabilidade de manter a escola neles e passou a não investir mais. Queremos iniciativas para trazer mais alunos, uma reforma estrutural, reforma na grade curricular", diz a estudante Adriana Gerônimo.

Segundo ressalta, a classe estudantil espera mais do que foi anunciado no pacote de medidas do governo do Estado, na semana passada, acrescentando que o fim da greve dos professores não garante o término do movimento por parte dos estudantes. "Só uma reforma não vai mudar a nossa realidade. Essa escola atende ao grande Lagamar e à Cidade de Deus. O movimento não vai acabar até que a Seduc decida investir", diz.

A Secretaria da Educação do Estado reforçou manter o diálogo com representantes dos professores e dos alunos para acolher as reivindicações em prol de melhorias. A Seduc diz ainda que a Escola Noel Hugnen de Oliveira Paiva vem sendo atendida normalmente com recursos para manutenção, consumo e alimentação escolar, e que a matrícula de alunos na unidade foi ampliada em 20% entre 2015 e 2016.


Diário do Nordeste

Cagece esclarece cortes de água em 40 municípios do Estado

Muitos habitantes do Interior do Ceará estão dependendo
de carros-pipa ( Foto: Honório Barbosa )
Iguatu. A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) encaminhou, ontem, para a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce) planos com medidas de racionamento de oferta de água para 40 municípios que já enfrentam restrição nos sistemas de abastecimentos locais por causa da seca que afeta o Ceará. As medidas de contingência atendem ao que foi determinado pela Arce, em resolução. Ontem, era o prazo final para a entrega dos planos.

O diretor conselheiro da Arce, Hélio Winston Leitão, esclareceu que, para as demais localidades, sem implantação de medidas de contingência, não há prazo definido para apresentação dos planos. A resolução da Agência estabelece, entretanto, a necessidade de encaminhamento prévio de um projeto de restrição para posterior adoção de medidas de racionamento. Com base no artigo 14 da Arce, o estabelecimento de medidas de racionamento deve ser submetido previamente à Agência, que poderá solicitar, a qualquer tempo, esclarecimentos. Caso a Cagece não atendesse o que determina a resolução, a Companhia poderia sofrer medidas punitivas. O objetivo é monitorar a situação de oferta de água por meio de sistemas locais de abastecimento no período crítico.

Quarenta municípios e localidades, atendidos pela Cagece, são citados no plano uma vez que já passam por regime de contingência. A Companhia espera que a população faça a sua parte.

Diário do Nordeste

Prestações do 'Minha Casa' ficarão até 237% mais caras

A partir de 1º de julho, as famílias com renda de até R$ 800 pagarão 220% a mais na parcela, passando de R$ 25 para R$ 80.Já as famílias com rendimento de R$ 800,01 a R$ 1.200,00 terão que desembolsar 10% da renda total ( Foto: Fabiane de Paula )

Os brasileiros que precisarem contratar um financiamento na faixa 1 - a mais baixa - do programa Minha Casa, Minha Vida a partir de julho pagarão mais nas prestações, que devem ficar até 237,5% mais caras. A faixa 1 se trata das famílias com renda bruta de até R$ 1.800 mensais.

O Ministério das Cidades explicou em nota que o ajuste está previsto nas Portarias Interministeriais publicadas em 30 de março de 2016 e só será aplicado às famílias cuja indicação seja formalizada na instituição financeira oficial federal após o dia 30 de junho de 2016. Dessa forma, famílias que já são beneficiadas pelo programa não serão afetadas pela alteração.

Para famílias com renda de até R$ 800, a prestação subirá 220%, passando de R$ 25 para R$ 80. Já as famílias com Renda Familiar Bruta Mensal (RFBM) de R$ 800,01 a R$ 1.200,00, terão que desembolsar 10% da RFBM para a prestação.

Enquanto que as famílias com rendimento entre R$ 1.200,01 e R$ 1.800, terão que pagar 25% da sua renda, menos R$180. Com o reajuste o valor irá variar de R$120 a R$270 mensais, antes era cobrado apenas R$80, podendo chegar a uma alta de até 237,5% no valor da fatura.

Melhorias na 3ª fase

Os reajustes se devem à melhorias estabelecidas na nova fase do programa Minha Casa, Minha Vida, além da atualização dos custos da construção. "Frente ao subsídio recebido, os valores da prestação permanecem baixos, chegando no máximo a 15% da renda da família e, na maioria dos casos, as famílias comprometiam muito mais de sua renda com a antiga moradia", justificou o Ministério das Cidades, em nota.

Para o governo, a motivação do reajuste não foi a inadimplência dessa faixa do programa (23%). Entretanto, o percentual é dez vezes maior que os 2,33% de inadimplência em todas as linhas de crédito imobiliário da Caixa no primeiro trimestre do ano.

Diário do Nordeste

Mais de 900 mil doses de vacinação contra gripe já foram aplicadas no Ceará

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da OMS ( Foto: Rui Nóbrega/ Diário do Nordeste )

Atualmente, 919.572 pessoas já foram vacinadas contra a gripe em todo o Estado. O Ceará possui um público-alvo de 1.776.416 pessoas que devem receber a dose de prevenção. Com os dados, o Estado fica com um índice de 51,8% do desejado.

Se comparado com o restante do Nordeste, o Ceará apresenta números melhores apenas que o Piauí (46,7%) e o Maranhão (51,7%). Um Balanço do Ministério da Saúde mostra que, até o momento, mais de 35,4 milhões de pessoas foram vacinadas no País. O número representa 71% da população prioritária, formado por 49,8 milhões de pessoas consideradas mais vulneráveis para complicações da gripe. A meta é imunizar, no mínimo, 80% desse público, até esta sexta-feira (20), quando se encerra a campanha.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da OMS. Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias. Na última sexta-feira (13), o Ministério da Saúde finalizou o envio de doses da vacina contra a influenza aos estados. No total, foram disponibilizadas 54 milhões de doses da vacina para imunizar as 49,8 milhões de pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha.

Diário do Nordeste

Violência sexual contra criança cresce no Estado; campanha é lançada

Comparando os quatro primeiros meses de 2015 e 2016, há o registro de um aumento de 3,66% de crimes contra crianças e adolescentes. Enquanto em 2015 foram 82 ocorrências, esse número cresceu para 85 em 2016 ( FOTO: MARÍLIA CAMELO )
Impor atos de caráter sexual a uma criança ou adolescente constitui uma séria violação aos direitos humanos e compromete o desenvolvimento saudável de meninos e meninas, acarretando transtornos psicológicos que podem se estender por toda a vida. Contudo, apesar da gravidade dessas práticas, não são poucos os casos informados aos órgãos públicos responsáveis em todo o Ceará.

Para alertar a população sobre a importância dos canais de denúncia, a Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), vinculada à Secretaria Municipal do Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome (Setra), implementa a campanha "Fortaleza Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes" neste mês.

O lançamento oficial será amanhã, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, mas a campanha já vem promovendo panfletagens informativas nas seis Regionais e em shoppings, no Terminal Rodoviário Engenheiro João Tomé, no Aeroporto Internacional Pinto Martins e na orla da cidade.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará (SSPDS) informou estatísticas dos Boletins de Ocorrência (BOs) registrados na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa). No ano passado, foram 334 informes de crimes à Especializada, sendo o estupro de vulnerável, aquele cometido contra menores de 14 anos, a ocorrência mais frequente: foram 281 casos, ou seja, 84% dos registros. De janeiro a abril deste ano, já foram atendidos mais 67 casos desse mesmo delito.

Comparando os quatro primeiros meses desses dois anos, notou-se um aumento de 3,66% nas notificações de crimes contra crianças e adolescentes. Enquanto em 2015 foram 82 ocorrências, esse número cresceu para 85 em 2016. Além de estupro de vulnerável, o boletim incluiu as tipificações de tentativa de estupro de vulnerável, estupro, tentativa de estupro e exploração sexual de menor.

Além disso, segundo dados do módulo para Conselhos Tutelares do Sistema de Informação para a Infância e Adolescência (Sipia), sistema de registro e tratamento de informação sobre políticas para crianças e adolescentes do Governo Federal, entre 2011 e 2015, houve 313 casos de abuso sexual contra esse grupo registrados no Ceará. Destes, 129 foram praticados por membros da própria família, 180 por pessoas ligadas ao círculo social da família e outros quatro por cuidadores.

No mesmo período, 89 estupros foram reportados pelos Conselhos Tutelares do Estado. De 1º de janeiro deste ano até a última sexta (13), o sistema registrou mais 23 casos de abuso sexual e mais 10 estupros. Outras tipificações de violência sexual também podem ser lançados na base de dados, como abuso verbal, assédio sexual e exibição de genitais a crianças e adolescentes.

Por outro lado, números levantados pelo Observatório da Criança e do Adolescente junto à Secretaria Especial de Direitos Humanos indicam uma redução no número de denúncias realizadas por meio do Disque 100, no Ceará, entre 2011 e 2015. Contudo, para Tânia Gurgel, presidente da Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), essa decaída não pode ser celebrada.

Práticas

"Enquanto nós tivermos casos registrados, não podemos comemorar. Essas práticas são violações danosas aos direitos humanos da criança e do adolescente", afirma. Tânia destaca que o poder público, organizações não-governamentais e a sociedade civil precisam ser aliados dos pais no combate aos abusos e explorações.

Como explica Kelly Meneses, coordenadora da Rede Aquarela - programa municipal que executa ações de políticas públicas de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes - as vítimas chegam à Rede após a denúncia na Dececa ou nos Conselhos Tutelares, onde são abordadas por assistentes sociais, psicólogos e advogados.

Ela conta que a Dececa envia uma média de 30 solicitações de atendimento mensais, enquanto cada uma das seis psicólogas da Rede acompanha cerca de 40 casos. "A maioria deles acontece em famílias em situação de vulnerabilidade social, que precisam acionar toda a rede de proteção", afirma. (Colaborou Nicolas Paulino)

SAIBA MAIS

O Disque 100 funciona 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. Quem denuncia pode optar pelo anonimato

Existem quase 200 Conselhos Tutelares ativos em todo o estado que também recebem denúncias

Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente

Rua Tabelião Fabião, 114 - São Gerardo

Telefone: (85) 3101-2044

Rede Aquarela

Rua Guilherme Rocha, 1503 - Centro

Telefone: (85) 3433-1419

Diário do Nordeste

Ventania assusta moradores de Aracoiaba e derruba antena de rádio


Aracoiaba. Uma forte ventania que assustou moradores deste município, no último sábado (14), foi responsável por derrubar uma antena de transmissão de sinal de rádio. O equipamento estava instalado em um terreno ao lado do posto da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) do município. Ninguém ficou ferido.

A chuva de sábado para domingo que banhou o município foi de apenas 5 mm, segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), mas veio acompanhada da forte ventania. O equipamento era preso a alguns cabos de aço. Mesmo assim, segundo o Agente Mariano, da PRE, a antena, de cerca de 25 metros, acabou cedendo.

As ferragens caíram por cima do teto do posto policial. Felizmente, ninguém ficou ferido.

O equipamento foi retirado ainda no sábado e consertado. Na manhã do último domingo (15), técnicos fizeram reparos e reergueram a antena.

As rajadas tiveram uma duração curta, mas assustaram a população do município.

Diário Sertão Central

Crise econômica fecha 46 lojas no Centro de Iguatu

Imóvel fechado, novo, para alugar. Foto de HB

Reflexo da crise econômica, no Centro da cidade de Iguatu, há 46 imóveis comerciais, 17 casas e 16 apertamentos fechados e disponíveis para alugar. Em todas as ruas as placas de ‘aluga-se’ estão nas fachadas dos prédios. O levantamento é da Associação Comercial de Iguatu.

Nos últimos meses, o número de imóveis fechados vem aumentando. “Faço um acompanhamento bimensal e percebo que a oferta é crescente por causa da crise”, disse o presidente da Associação Comercial, Gilvânio Oliveira de Araújo.

O preço do aluguel varia, mas os imóveis comerciais têm preço que oscila entre R$ 10,00 e R$ 20,00, o metro quadrado.

O Centro comercial, segundo levantamento da Associação Comercial, inclui o perímetro entre as ruas Guilherme de Oliveira, José de Alencar, Deocleciano Bezerra e professor João Coelho.
Prédio onde funcionou por mais de 30 anos a loja Esplanada agora está disponível para aluguel. foto: HB

Diário Centro Sul

Quadrilha que praticava roubo de veículos e cargas na BR-116 é desarticulada

As quatro pessoas presas foram autuadas na
Delegacia Municipal de Chorozinho
Uma quadrilha que roubava veículos e cargas na BR-116 e em áreas próximas a ela foi desarticulada, durante a segunda fase da ‘Operação Cangaço’ deflagrada nesta segunda-feira, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pelo Ministério Púbico Ceará (MPCE). A ação aconteceu no Distrito de Melancias, no Município de  Ocara (a 101Km de Fortaleza). 

A operação teve início com investigações contra uma organização criminosa que roubava transportes de passageiros e veículos em geral, no entanto durante as apurações foi descoberto que os acusados praticavam diversos outros delitos em suas comunidades.  

Segundo a PRF, as incursões resultaram na prisão de quatro pessoas, que não tiveram suas identidades divulgadas e na apreensão de 19 pássaros silvestres, uma arma de fogo e 1,2 mil litros de óleo diesel. A operação tinha como objetivo também  o cumprimento de mandados de busca e apreensão, em residências e pontos comerciais localizados às margens da BR-116.  

As pessoas detidas foram encaminhadas à Delegacia Municipal de Chorozinho, onde foram ouvidas e autuadas por  porte ilegal de arma de fogo, crime contra a ordem econômica (pela venda ilegal do combustível) e crimes ambientais (pela guarda, venda e maus tratos de pássaros silvestres).

Segundo a Polícia, o  nome da operação  remete à maneira como a quadrilha agia. Algumas ações do bando faziam lembrar o tempo do Cangaço, quando comunidades eram aterrorizadas e permaneciam em silêncio, por medo.

Diário do Nordeste

Ministério Público investigará caso de jovem morto por pit bull


O caso da morte do jovem de 12 atacado e morto por um pit bull será investigado pelo Ministério Público do Ceará (MPCE). A 6ª Promotoria da Infância e Juventude instaurou inquérito civil público nesta segunda-feira, 16, para apurar a morte do garoto, que vivia em um abrigo para crianças e adolescentes, localizado no bairro Jacarecanga.

Segundo o promotor Luciano Tonet, responsável pelo inquérito, o objetivo é esclarecer os fatos para adoção de todas as providências necessárias sobre o caso. O promotor tomou conhecimento da morte do garoto por meio da assessoria jurídica da Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setra) e da imprensa.

De acordo com o MP, o órgão requisitou da Secretaria Executiva da Regional VI informações sobre o terreno no qual os cachorros estavam, bem como a Setra informações sobre o ocorrido, uma vez que o acolhimento é de responsabilidade do município de Fortaleza e gerido pela pasta. Outras providências estão sendo tomadas no âmbito da Promotoria de Justiça.

Setra também abre investigação

As investigações conduzidas pela Setra serão para cobrar explicações sobre como o jovem, de nome não informado e sepultado na tarde deste domingo, 15, conseguiu pular o muro do abrigo. Conforme a pasta, a mãe do garoto recebe apoio de equipe composta por assistente social, advogado e psicólogos. A Setra explicou, entretanto, que o menino estava em situação de rua por negligência familiar.

O POVO Online

Procon entra com ação civil para barrar aumento de energia elétrica

Empresa informou que ainda não foi notificada da ação civil

O Procon Fortaleza entrou com ação judicial pública nesta segunda-feira, 16, na Justiça Federal, contra a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Companhia Energética do Ceará (Coelce). O órgão de defesa do consumidor classifica como abusivo o aumento de 13,64%, aplicado aos usuários de baixa tensão desde o dia 22 de abril. O Procon quer que a Justiça determine o ressarcimento nas contas que sofreram o reajuste e já foram pagas.

De acordo com a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, o reajuste supera em 4,3 pontos percentuais a inflação dos últimos doze meses, fixada em 9,34% pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). "O consumidor é a parte mais frágil e vulnerável na relação de consumo. É por isso que estamos recorrendo ao Poder Judiciário para garantir os direitos conquistados pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC)".

O Procon justifica que as informações encaminhadas pela Coelce não têm elementos que justifiquem o reajuste da tarifa. Na ação, o órgão citou a Aneel por entender que a agência reguladora é a responsável por autorizar e determinar os índices praticados pelas empresas de energia elétrica.

"A Aneel sequer teve a cautela de realizar debate com os consumidores ou apresentar argumentos que pudessem justificar tão elevados índices, limitando-se a dizer que se tratava de revisão tarifária", disse a diretora do Procon.0

A Coelce é a terceira empresa mais reclamada no Procon Fortaleza, contabilizando 762 atendimentos em 2015 - 107% a mais em relação ao ano anterior.

Em dezembro de 2015, o Procon Fortaleza multou a Companhia Energética do Ceará (Coelce) em R$ 5,8 milhões pelos sucessivos apagões registrados na capital. A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), que é responsável pela transmissão de energia aos consumidores da Coelce, também foi multada, em R$ 534 mil. Na época, o Procon considerou que houve falha na prestação do serviço, o que ficou evidente nos quatro apagões apenas no ano de 2015.

O que diz a empresa  

Em nota, a Coelce informa que não foi notificada oficialmente até o momento sobre a ação civil pública ingressada pelo Procon Fortaleza. "Sobre o reajuste tarifário, a Coelce informa que enviou esclarecimentos para o Procon no dia 29 de abril, dentro do prazo solicitado pelo órgão. A companhia esclarece que é uma empresa regulada e o reajuste tarifário é definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), segundo as regras estabelecidas na legislação e no contrato de concessão", diz o texto.

"A distribuidora informa também que, do reajuste médio aprovado pela Aneel, a parcela dos custos da Coelce corresponde a 5,73%, sendo 7,24% referentes a compra de energia e encargos. O valor percebido para o consumidor de baixa tensão foi de 13,6% e evoluiu nos últimos 10 anos abaixo da variação do IGP-M e do IPCA do mesmo período". 

Saiba mais

Reclame pelo portal, no link Atendimento Virtual.

Deficientes visuais também pode abrir uma reclamação ou denunciar pela nova ferramenta "Procon Acessibilidade".

Mais informações pela Central de Atendimento ao Consumidor, 151.  

O POVO Online