-->

2 de julho de 2016

Comandante do Ronda diz que armamento utilizado pela quadrilha era "um pouco" superior ao da PM


O comandante do Ronda do Quarteirão, tenente-coronel Fernando Albano, classificou o armamento da quadrilha de assalto a carro-forte que matou três policiais militares, fez reféns e chegou a roubar uma viatura como "um pouco superior" ao da Polícia Militar local. A declaração foi feita na última sexta-feira, 1º, durante o sepultamento das vítimas, em Quixadá. 

As quadrilhas de ataque a banco e carro-forte que agem no interior são conhecidas por atuarem com fuzis calibres 556 e o bando que age em Quixadá, especificamente, é conhecido por possuir um fuzil calibre .50, exclusivo das Forças Armadas. A informação foi repassada no ano passado, pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). O armamento é capaz utilizado em guerras no Iraque,  Afeganistão, e pelos traficantes do Rio de Janeiro, além de atuar em ataques aéreos e contra carros blindados, com grande poder de destruição. 

Apesar disso, o comandante do Ronda disse que não há falhas no material que é entregue aos policiais militares e entende como leviana esse tipo de afirmação. "Entendemos que o Governo do Estado tem buscado total apoio a PM de equipamentos e armamentos necessários para as atividades de segurança. Temos coletes suficientes e armamentos suficientes. Os bandidos usavam um armamento de grosso calibre, um pouco superior ao da PM, mas temos treinamento e uma tropa corajosa com princípios táticos para enfrentar qualquer desafio. Temos um lema que o bandido pode estar até com uma bazuca, mas vamos atrás", ressaltou o oficial.

O comandante do Ronda disse que a Polícia Militar está 'enlutada' e que tem certeza que a tragédia que aconteceu em Quixadá é um motivo a mais para que a Polícia continue combatendo o crime no estado do Ceará. O oficial ressaltou a importância da união de força dos órgãos de segurança e disse que a PMCE só vai parar quando conseguir prender cada um dos integrantes da quadrilha.

 De acordo com o vice-presidente da Associação de Profissionais de Segurança, Noélio Oliveira, a morte dos PMs foi uma tragédia anunciada e que as APS vem informando sobre o sucateamento da Polícia Militar no Interior do Estado, em termos de armamento insuficiente. 

"Precisamos frisar que a Polícia Militar está com falta de armamento. Acabei de vir do quartel de Quixadá e encontrei um subtenente chorando. Ele me pediu socorro, porque não possui armamento para combater a altura. Se existem armas essas armas estão guardadas em algum lugar que não são os quartéis", relata. O representante da Associação dos Profissionais de Segurança ainda fez um apelo para o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e relatou que todos os dias são apreendidas armas de grosso calibre no estado do Ceará. Ele ressalta que essas armas devem ser utilizadas pela Polícia Militar do Interior.

No primeiro semestre de 2015 foram 12 fuzis apreendidos no CE. Entre os meses de janeiro a maio de 2016 foram apreendidas 2.464 armas de fogo no Ceará, conforme o balanço da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).


Especialista descreve perfil dos assaltantes do Novo Cangaço 

No estudo da pesquisadora do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará (UFC), Jânia Perla Diógenes de Aquino, que foi apresentado na Universidade de São Paulo (USP), que fala sobre a performance e o perigo nos Assaltos Contra Instituições financeiras. 

A pesquisadora entrevistou assaltantes de banco do estado do Ceará em um presídio de segurança máxima e constatou que ele se vê e é visto como um ‘profissional’ e que os entrevistados possuem características que fogem do estereótipo do 'pirangueiro'. As abordagens são caracterizadas pela violência e os integrantes das quadrilhas são dependentes de drogas ou álcool. 

Conforme o trabalho acadêmico da pesquisadora, os indivíduos conhecem trechos do código penal, artigos e parágrafos. Além de ter uma espécie de 'fachada social'. 

 "Você me vê aqui manso, falando numa boa com você, mas você nem imagina como é que eu sou quando estou trabalhando. Tinha um amigo meu que dizia que eu me tornava outra pessoa. A minha voz muda, as minhas maneiras mudam. Ele disse que não me reconhecia, porque eu pareço outra pessoa. Não é que eu não me lembre do que eu faço depois, mais eu mudo. Eu sou eu, mas faço e digo coisas que eu não faço normalmente, que não tem a ver com o meu jeito de tratar as pessoas. (Trecho de Entrevista realizada em maio de 2003).

 Em outra entrevista um homem preso pela prática do sequestro de gerente de bancos, ação criminosa conhecida como sapatinho, explica como funciona a ação criminosa.


 “Todo o segredo de fazer esse tipo de assalto está na casa do gerente. Tudo começa com a família dele, os filhos, a mulher, as pessoas que ele tem mais afeto. A gente pega essas pessoas e na hora que ele chega a gente pega ele também. A gente pega as famílias no final da tarde ou a noite. Então, a gente segura o pessoal. O telefone tocou, a gente deixa a pessoa atender, e manda ela falar normalmente. Mas a gente fica na linha com a pessoa, ouvindo o que ela vai falar. Então a gente fica com as pessoas na casa, até determinadas horas, quando a gente vê que ninguém mais vai chegar, que o telefone na vai tocar, então, por volta de meia noite, a gente leva todo mundo pro cativeiro. Depois que está todo mundo no cativeiro, tudo certinho. Aí a gente começa a trabalhar o gerente. ( Trecho de entrevista realizada em 2003).

O Povo Online

Suspeitos de matar agente penitenciário são detidos


Dois suspeitos de terem envolvimento com a morte do agente penitenciário André Nogueira Pires, 26, ocorrida na madrugada deste sábado (2), no cruzamento das Ruas Jorge Dumar e Major Weyne, no bairro Jardim América, foram detidos. A dupla foi encontrada na comunidade da ‘Brasília’, nas proximidades de onde o crime aconteceu.

Os policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) continuam as diligências a procura da arma do servidor da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), que foi levada após o assassinato. Conforme levantamentos preliminares, a pretensão dos criminosos era roubar o carro e a carteira do agente penitenciário, mas ele reagiu e os suspeitos atiraram. 

Até o momento,  apenas a pistola da vítima não foi encontrada e a principal linha de investigação  da DHPP é que o caso tenha sido um latrocínio. No momento em que foram detidos, os suspeitos portavam um revólver que foi apreendido. A Polícia suspeita que eles repassaram para um traficante a arma subtraída no assalto.   

André Nogueira era lotado na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga. 

Diário do Nordeste

Ex-PM e agente penitenciário são assassinados na Capital

À esquerda: população olhando o corpo do Ex-PM morto/À direita: Agente penitenciário morto dentro do veículo

Um ex-policial militar e um agente penitenciário foram assassinados entre a noite da última sexta-feira (1º) e a madrugada deste sábado (2) em Fortaleza. O subtenente afastado, Marcos Paulo Andrade da Rocha foi alvejado por vários disparos enquanto jogava baralho em um bar na Rua Castelo de Castro, no bairro Conjunto Palmeiras, segundo informações da TV Diário. 

Dois homens chegaram ao local em uma moto e dispararam contra Marcos Paulo. Segundo familiares da vítima entrevistados pela emissora, não há indícios do que poderia ter resultado na execução. 

O agente penitenciário André Nogueira Pires, 26 anos, foi morto  enquanto dirigia no cruzamento das Ruas Jorge Dumar e Major Weyne. O crime teria acontecido após uma discussão entre o agente e seu cunhado por motivos pessoais. 


O Samu chegou para prestar socorros, mas a vítima já estava sem vida. André Nogueira era lotado na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga. A Polícia investiga os dois casos. 

Diário do Nordeste

Ladrões invadem lavoura e levam R$ 110 mil em feijão


Mais um roubo de feijão foi registrado nesta sexta-feira (1º) no Sul de Minas. Desta vez foram 230 sacas do produto, avaliadas em R$ 110 mil, que foram roubadas durante a madrugada em uma fazenda de Alfenas (MG). Dois funcionários foram feitos reféns por pelo menos três horas.

Segundo a Polícia Militar, dois empregados saíam com um caminhão carregado de feijão quando foram abordados por pelo menos quatro homens armados. Durante o tempo em que os funcionários ficaram sob o poder dos criminosos, o grupo descarregou o caminhão e carregou outro que foi usado na fuga.

"O fato foi enviado para a Polícia Civil e pouco tempo depois, em uma fazenda próxima, foi localizado o caminhão, contudo sem o material que foi roubado", disse o tenente da Polícia Militar, Alessandro Furtado da Silva.

Nas lavouras, produtores já começam a investir na segurança.

"O pouco lucro que está tendo a gente ainda tem que desviar parte desse lucro para investir em segurança, senão eles vêm e levam tudo também. Então é complicado", disse o produtor rural Ronan de Souza.

Com isso, uma nova função já está sendo criada: vigia da lavoura de feijão.

"Aqui eu já abordei mais ou menos umas 20 pessoas roubando feijão. Acredito eu que só daqui já levaram uns 20 sacos, mesmo eu aqui, já levaram 20 sacos. Hoje você vigiar banco você tem mais segurança do que vigiar uma roça dessa. Você vigiar banco você tem mais gente por perto, vigiar roça está você sozinho", diz o vigia Eli de Jesus Santana.

2º roubo na semana

Este foi o 2º roubo de feijão somente nesta semana no Sul de Minas. Em São Gonçalo do Sapucaí (MG), os ladrões foram ousados. Eles furtaram o feijão ainda no pé e durante o dia. Eles levaram cerca de 80 quilos do grão. Apenas parte disso, cerca de 20 quilos, foram recuperados.

G1

'O Judiciário tem ajudado os bandidos no Ceará', diz Capitão Wagner


O Deputado Estadual Capitão Wagner concedeu entrevista, na manhã desta sexta-feira (01), às rádios Monólitos AM e Liderança FM, comentando as mortes de três policiais militares em Quixadá na tarde de ontem. Wagner estava acompanhado do Deputado Federal, Cabo Sabino.

O parlamentar fez fortes críticas ao Governador Camilo Santana, inclusive qualificando o combate à criminalidade, encabeçado pelo Estado, como “frouxura”. Dirigiu críticas ao sistema penitenciário do Ceará, dizendo que “os bandidos comandam tudo de dentro dos presídios”. Wagner cobrou a instalação de equipamentos de bloqueio de sinal de telefonia nas cercanias das unidades prisionais.

RAIO EM QUIXADÁ

“A mentira é a seguinte: falam que vão instalar uma unidade do Raio em Quixadá, mas na verdade estão retirando 12 policiais dos 33 que tem em Quixeramobim e trazendo para Quixadá. Vão só trocar as fardas dos PM’s e dá quatro motocicletas a eles. Cobrem um santo e descobrem outro”, comentou o Deputado sobre a instalação do Raio em Quixadá, prevista para o final do mês de julho.

“O Raio está em Sobral faz é tempo. Essa semana os bandidos fizeram foi passeata lá. Apreenderam 41 adolescentes, mas ontem fugiram 70. Isso é uma vergonha”, acrescentou.

JUDICIÁRIO

“O Judiciário tem ajudado os bandidos no Ceará. A Polícia prende e a Justiça solta. Em Fortaleza um casal foi preso recentemente com um quilo de cocaína. O juiz mandou os dois para casa. É uma situação muito complicada”, disse.

APOIO DA SOCIEDADE

“Está errado essa história de defender bandido. Quando a Polícia Militar mata um bandido, todo mundo fica contra. Isso está errado. Os policiais arriscam a vida todos os dias para nos manter em segurança, e quase sempre em péssimas condições de trabalho”, desabafou.

Monólitos Post

Homem é preso após tentar matar companheira com uma marreta em Russas


Nesta sexta-feira, dia 01, por volta das 09h30min, na Rua Aristóteles Nogueira, bairro Planalto da Bela Vista em Russas-CE, foi preso MARCOS ANTONIO DE SOUSA, 27 anos, o qual tentou contra a vida de sua amasiada de 26 anos. O acusado agrediu a vitima na cabeça com uma marreta, a mesma foi socorrida para a UPA, onde foi medicada e ficou sob observação medica. Os PM da F.T.A. efetuaram a prisão do individuo e conduziram juntamente com a marreta a DRPC de Russas, onde o mesmo foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio. Foi informado que o acusado já respondeu por 02 (dois) portes ilegal de arma; 01 (uma) ameaça; 02 (dois) furtos, 01(um) roubo; 01 (uma) lesão corporal; 01 (um) trafico de entorpecentes; e 02 (duas) Lei Maria da Penha.

Com Informações do 1ºBPM

Juiz nega transferir líder do furto ao Banco Central para presídio federal


O juiz Luiz Bessa Neto negou nesta quarta-feira (29) o pedido para transferir o líder do roubo ao Banco Central de Fortaleza, conhecido como Alemão, para um presídio federal de segurança máxima. O pedido havia sido feito pela Secretaria de Justiça do Ceará após uma série de rebeliões na unidade prisional onde Alemão é mantido, em Itaitinga, na Grande Fortaleza. As rebeliões resultaram na destruição de celas e na morte de 14 internos.

Ao analisar o pedido, o magistrado disse que "o único subsídio" para a transferência é a suposta participação do Alemão em tentativa de fuga do local onde estava. Agentes penitenciários investigam se Alemão é autor ou mentor da escavação de um túnel encontrado na unidade onde ele se encontra atualmente.

“Limitou-se a autoridade administrativa, tão só em alegar que dia 16 de maio foi descoberto um túnel, cavado de fora para dentro da Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba, lugar onde o Alemão encontrava-se recolhido para fins de cumprimento da pena”, afirmou o juiz Luiz Bessa Neto, titular da 1ª Vara de Execução Penal.

“Entendemos que a transferência do interno para presídio federal de segurança máxima, de momento, privando-o de cumprir a pena em unidade prisional mais próxima do lugar em que reside sua família, seria castrar-lhe o direito subjetivo de convívio saudável com seus entes familiares, consoante previsto na Lei de Execução Penal”, completou o juiz.

Roubo ao Banco Central

Antônio Jussivan Alves dos Santos, conhecido como "Alemão", é apontado como um dos mentores do roubo ao Banco Central, ocorrido na madrugada de 5 para 6 de agosto de 2005, em Fortaleza. Segundo a Polícia Federal, foram levados do cofre R$ 164,7 milhões (mais de três toneladas em notas de R$ 50).

Alemão foi sentenciado a 116 anos de prisão por diversos crimes, entre eles, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Em 2008, ele foi sentenciado a 49 anos e dois meses em 1º grau e teve pena reformada pelo TRF-5 para 35 anos e 10 meses de prisão. Em 2015, foi condenado a mais 80 anos, dez meses e 20 dias por lavagem do dinheiro.

Greve e rebeliões

As rebeliões ocorreram em 21 e 22 de maio durante e após a greve dos agentes penitenciários. Segundo a Secretaria da Justiça, a motivação dos conflitos foi a suspensão das visitas nas unidades prisionais. De acordo com a Polícia Militar, os detentos quebraram cadeiras, grades, armários e queimaram colchões em diversos presídios.

Dez dias após as manifestações, a Secretaria da Justiça solicitou que o Tribunal de Justiça do Ceará realizasse a transferência de Alemão.


Os agentes penitenciários retornaram ao trabalho no sábado, após cerca de 12h de paralisação. A categoria aceitou a proposta de reajuste na Gratificação por Atividades e Riscos (Gaer), que era de 60%, para 100%. O reajuste será pago de forma escalonada: 10% em fevereiro de 2017, 10% em janeiro de 2018 e 20% em novembro de 2018.

G1/CE

Assaltantes capturados em Quixadá não possuem ligação com quadrilha que matou policiais


Três homens foram capturados pela Polícia Militar, na noite desta sexta-feira (01), no Distrito de Juatama, em Quixadá, após tentarem praticar um assalto.

Visto que a PM está empenhada na captura dos indivíduos que mataram três policiais militares, houve intensa movimentação de viaturas para o local, após denúncias de populares. Vários tiros foram disparados. Os três acabaram capturados e levados para a Delegacia de Polícia Civil deste município.

Havia suspeita de que eles integrassem a quadrilha responsável pela morte dos policiais militares, mas as autoridades já descartaram esta possibilidade.

Monólitos Post

Policiais Militares são sepultados sob homenagens e emoção

Colegas de farda e bombeiros militares conduziram os caixões dos PMs mortos no tiroteio com os assaltantes de bancos e carros-fortes. Parentes e amigos acompanharam o cortejo ( fotos: bruno gomes )

Quixadá. Sob honras militares, homenagens e forte comoção, foram sepultados, nesta cidade, no fim da tarde e começo da noite da última sexta-feira (1º) os três policiais militares mortos na tarde anterior por bandidos armados de fuzil. O cabo Antônio Joel de Oliveira Filho e o soldado Antônio Lopes Miranda Filho foram enterrados no Cemitério Público de Quixadá. Já o sargento Francisco Guanabara Filho teve o corpo deixado no Cemitério Parque Nova Jerusalém. Os três foram velados durante toda a sexta-feira.

Às 15h, o comércio local baixou as portas. Segundo os funcionários, não havia nenhuma recomendação: tratava-se do sentimento geral de uma cidade que estava abalada. “Foi uma iniciativa dos próprios empresários. A cidade inteira está muito triste, assustada. Foi um dia estranho, nada fluiu, as pessoas não foram às ruas”, relatou uma moradora.

Pela Rua Rodrigues Júnior, várias faixas de luto foram colocadas nas portas das lojas. A calmaria chamava a atenção: em pleno primeiro dia útil do mês, o movimento era grande de carros, saindo do centro comercial da cidade. O destino era o Centro de Velório Anjo da Guarda, no bairro Universitário.

Os dois salões do complexo ficaram pequenos para a multidão que se aglomerava. O último adeus aos policiais Joel e Antônio Filho era bastante concorrido. Era difícil chegar aos caixões, por entre as muitas pessoas que solidarizavam-se pelas mortes dos militares.

Os dois policiais eram primos. Joel, casado há cerca de cinco anos, deixa uma filha de aproximadamente dois anos de idade. Segundo familiares, Antônio Filho estava no último ano da faculdade de Administração Pública. “Ele estava organizando a festa de formatura, no fim do ano. Faltava apenas duas disciplinas e a monografia”, comentou um familiar do soldado.

A cerimônia de sepultamento deles ocorreu por volta das 18h, no Cemitério Público de Quixadá. Os caixões deixaram o Centro de velórios cada um em um carro do Corpo de Bombeiros Militar (CBM). A multidão aplaudiu a saída dos corpos, que foram conduzidos como heróis, por entre as ruas da cidade, no deslocamento até o cemitério.

Já o corpo do sargento Guanabara foi velado na residência do militar. Após o término das homenagens e sepultamento do cabo e do soldado, o caixão com a terceira vítima foi conduzido até o Cemitério Parque Nova Jerusalém. Ele também seguiu em um caminhão dos Bombeiros, com as mesmas honrarias dos outros dois colegas mortos.

A cerimônia teve início por volta das 19h e também contou com a presença de uma multidão, que lotou o cemitério. 

De acordo com a família, Guanabara estava prestes a ser reformado, isto é, ir para a Reserva da PM. Conforme o comandante do 9º Batalhão Policial Militar (9º BPM) tenente-coronel Ednardo Calixto, o sargento estava escalado para trabalhar naquela quinta-feira e também deveria prestar serviço na sexta-feira à noite. 

Folgaria o fim de semana e, na segunda-feira, daria início ao gozo das férias. No retorno, em agosto, deveria aposentar-se. O sargento deixou mulher e dois filhos, de 17 e 22 anos de idade.

Autoridades do município e representantes do Estado, como o secretário adjunto da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), coronel Lauro Carlos de Araújo Prado; a diretora da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, delegada Socorro Portela; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Giovani Pinheiro; e o comandante do Ronda do Quarteirão, coronel Fernando Albano, estiveram nos velórios prestando apoio aos familiares das vítimas.

Ocorrência 

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), policiais da Força Tática de Apoio (FTA) receberam um chamado envolvendo um Chevrolet Ônix. Os ocupantes teriam feito um roubo e efetuados disparos de arma de fogo. No deslocamento para atender a ocorrência por uma estrada, se depararam com eles. Houve um primeiro confronto e os PMs pediram reforço. Na fuga, um outro grupo de bandidos colidiu de frente com uma viatura e atirou nos policiais, resultando em três mortos, um ferido e dois feitos reféns. Outras viaturas foram ao local socorrer os policiais e depararam-se com o Ônix que iniciou a ocorrência. Houve tiroteio e eles novamente fugiram.


Albano disse que o armamento utilizado pelos policiais na ocorrência estava correto e em dia. “O armamento era suficiente para esse tipo de enfrentamento. Apenas entendemos que os bandidos tinham um armamento de grosso calibre um pouco superior ao da PM. Mas temos um treinamento, uma tropa corajosa e que tem princípios táticos e técnicos capazes de enfrentar qualquer tipo de desafio”, disse.

Diário do Nordeste