-->

5 de outubro de 2014

80 candidatos foram presos por prática de crimes eleitorais no País


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou há pouco o segundo balanço sobre o registro de delitos eleitores. Até o momento, foram 472 ocorrências envolvendo candidatos, 80 presos por crimes como boca de urna, compra de votos e transporte ilegal de eleitores .

Entre os não candidatos, foram 2.619 ocorrências, com 1.127 cidadãos presos. O número de prisões foi divulgado em balanço parcial, apurado até as 16h51.

Segundo o tribunal, 4.416 urnas tiveram de ser substituídas (1,02 % do total).

Número de ocorrências de crime eleitoral chega a 3.091

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizou há pouco o boletim de ocorrências de crime eleitoral nestas eleições. O boletim fechado às 16h50 registra 3.091 ocorrências. O anterior apontava 1.662.

O número de prisões passou de 551 para 1.209. A maior parte das ocorrências envolvendo candidatos foi de divulgação de propaganda eleitoral. Minas Gerais lidera essa estatística. No boletim anterior, era o Rio de Janeiro.

Entre os não candidatos, a maioria das ocorrências se refere a boca de urna, com 749 prisões – 462 não foram presos porque não houve flagrante. O Rio tem o maior número de ocorrências com não candidatos, somando 612, seguido por Minas, com 298.

* Com informações do TSE

Fonte: Ceará News




Ceará terá segundo turno entre Camilo e Eunício


Os candidatos Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) vão se enfrentar no segundo turno no Ceará, marcado para o dia 26 de outubro. Com 99,62% das urnas apuradas, Camilo somou 47,79% dos votos e Eunício 46,41%. O candidato do PT conquistou, até o momento, a adesão de 2.031.441 eleitores do Estado, enquanto peemedebista levou 1.972.687 votos.

A apuração de votos das eleições continua acontecendo. Em terceiro lugar ficou a candidata Eliane Novais (PSB), com 3,40% dos votos; seguida por Ailton Lopes (PSOL), com 2,41%.

No total, 6.249.372 de votos foram apurados com 6,07% de votos em branco e 8,76% votos nulos. A próxima votação acontece no dia 26 de outubro.

Pesquisa sugeriu empate

A pesquisa Ibope de 'boca de urna' divulgada às 17h deste domingo já apontava um possível segundo turno entre os candidatos Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB). Eunício Oliveira aparecia na frente com 49% dos votos, enquanto Camilo vinha logo atrás, com 44%.

Fonte: Diário do Nordeste




Conheça os 46 deputados estaduais

1) Aderlania Noronha (SD): 96.812 votos (2,18% dos votos válidos)
2) Zezinho Albuquerque (PROS): 95.219 votos (2,14% dos votos válidos)
3) Dr. Sarto (PROS): 85.304 votos (1,92% dos votos válidos)
4) Sergio Aguiar (PROS): 84.937 votos (1,91% dos votos válidos)
5) Moises Braz (PT):   74.707 votos (1,68% dos votos válidos)
6) Ivo Gomes (PROS): 71.490 votos (1,61% dos votos válidos)
7) Roberio Monteiro (PROS):    67.012 votos (1,51% dos votos válidos)
8) Welington Landim (PROS): 66.209 votos (1,49% dos votos válidos)
9) Duquinha (PROS): 64.413 votos (1,45% dos votos válidos)
10) Roberto Mesquita (PV): 63.686 votos (1,43% dos votos válidos)
11) Odilon Aguiar (PROS): 57.437 votos (1,29% dos votos válidos)
12) David Durand (PRB): 53.606 votos (1,21% dos votos válidos)
13) Dr. Lucílvio Girão (SD): 52.402 votos (1,18% dos votos válidos)
14) Antonio Granja (PROS): 51.366 votos (1,16% dos votos válidos)
15) Lais Nunes (PROS): 48.861 votos (1,10% dos votos válidos)
16) Osmar Baquit (PSD): 47.520 votos (1,07% dos votos válidos)
17) Naumi Amorim (PSL): 46.776 votos (1,05% dos votos válidos)
18) Gony Arruda (PSD): 46.174 votos (1,04% dos votos válidos)
19) Jeova Mota (PROS): 45.728 votos (1,03% dos votos válidos)
20) Mirian Sobreira (PROS): 44.450 votos (1,00% dos votos válidos)
21) Elmano (PT): 44.285 votos (1,00% dos votos válidos)
22) Tin Gomes (PHS): 41.540 votos (0,93% dos votos válidos)
23) Capitão Wagner (PR): 193.992 votos (4,36% dos votos válidos)
24) Agenor Neto (PMDB): 78.868 votos (1,77% dos votos válidos)
25) Fernanda Pessoa (PR): 78.408 votos (1,76% dos votos válidos)
26) Danniel Oliveira (PMDB): 61.252 votos (1,38% dos votos válidos)
27) João Jaime (DEM): 52.635 votos (1,18% dos votos válidos)
28) Dra. Silvana (PMDB): 41.259 votos (0,93% dos votos válidos)
29) Carlomano Marques (PMDB): 37.405 votos (0,84% dos votos válidos)
30) Walter Cavalcante (PMDB): 32.928 votos (0,74% dos votos válidos)
31) Bethrose (PRP): 31.666 votos (0,71% dos votos válidos)
32) Carlos Matos (PSDB): 28.904 votos (0,65% dos votos válidos)
33) Audic Mota (PMDB): 28.492 votos (0,64% dos votos válidos)
34) Heitor Ferrer (PDT): 93.920 votos (2,11% dos votos válidos)
35) Evandro Leitão (PDT): 70.223 votos (1,58% dos votos válidos)
36) Ferreira Aragão (PDT): 27.455 votos (0,62% dos votos válidos)
37) Ely Aguiar (PSDC): 41.623 votos (0,94% dos votos válidos)
38) Tomaz Holanda (PPS): 25.874 votos (0,58% dos votos válidos)
39) Julio Cesar (PTN): 23.610 votos (0,53% dos votos válidos)
40) Augusta Brito (PCdoB): 50.841 votos (1,14% dos votos válidos)
41) George Valentim (PCdoB): 27.475 votos (0,62% dos votos válidos)
42) Joaquim Noronha (PP): 38. 693 votos (0,87% dos votos válidos)
43) Zé Ailton Brasil (PP): 25.399 votos (0,57% dos votos válidos)
44) Renato Roseno (PSOL): 59.871 votos (1,35% dos votos válidos)
45) Bruno Pedrosa (PSC): 27.765 votos (0,62% dos votos válidos)
46) Dr. Bruno Gonçalves (PEN): 75.506 votos (1,70% dos votos válidos) 
Fonte: Diário do Nordeste


Conheça os 22 deputados federais eleitos do Ceará

1º - Moroni (DEM) - 6,38% - 277.6851
2º - Genecias Noronha (SD) - 5,08% - 221.006
3 º - José Guimarães (PT) - 4,73% - 205.805
4º - Domingos Neto (PROS) - 4,25% - 184.967
5º - Danilo Forte (PMDB) - 4,13% - 180.0232 
6º - Anibal (PMDB) - 3,99% - 173.733
7º - Moses Rodrigues (PPS) - 3,34% - 145.272  
8º - Luizianne Lins (PT) - 3% - 130.669
9º - Gorete Pereira (PR) - 2,97% - 129.125
10º - André Figueiredo (PDT) - 2,88% - 125.350
11º - Odorico (PT) - 2,79% - 121.290
12º - Cabo Sabino (PR) - 2,76% - 120.3036
13º - Ronaldo Martins (PRB) - 2,71% - 117.819
14º - Adail Carneiro (PHS) - 2,62% - 113.878
15º - Macedo (PSL) - 2,47% - 107.397
16º - Raimundo Matos (PSDB) - 2,18% - 95.099
17º -  José Airton (PT) - 2,16% - 94.036
18º - Vitor Valim (PMDB) - 2,12% - 92.477 
19º - Leonidas Cristino - 2,05% - 89.300
20º - Balman - 2,01% - 87.632
21º - Arnon Bezerra (PTB) - 1,94% - 84.474
22º - Chico Lopes (PC do B) - 1,85% - 80.411]
Fonte: Diário do Nordeste

Homossexuais se reúnem em frente à casa de Levy para beijaço


Integrantes de grupos de defesa à população LGBT (lésbicas, gays, bisessexuais e transgêneros) fizeram neste sábado um ato pacífico em frente ao prédio onde reside o candidato à Presidência da República, Levy Fidelix (PRTB), que durante debate em uma emissora de televisão fez declarações consideradas homofóbicas.

Para demonstrar insatisfação quanto às palavras do candidato, os participantes fizeram discursos e se beijaram durante a manifestação. Membro de um dos grupos organizadores, o advogado Luiz Arruda, 37 anos, destacou que Fidelix entrou na casa dos brasileiros por meio de uma concessão pública de televisão para dizer que os homossexuais deveriam ser perseguidos, separados da sociedade e que eram doentes. “Nós viemos falar um pouco para ele como é o nosso amor, que é uma coisa bonita e não tem nada de doente, de sujo."

Segundo Luiz, o tipo de discurso usado por Fidelix ainda não está equiparado com o discurso contra negros, judeus, religiosos, e como ainda não há uma forma legal para prender alguém que utiliza esse tipo de fala, torna-se necessário passar a mensagem do grupo. “Pelo menos até que o Congresso Nacional criminalize a homofobia, nos mesmos termos do racismo. Ele foi muito agressivo, fazendo um discurso muito parecido com o discurso nazista. Ele falou claramente que nós tínhamos que nos tratar longe da sociedade”, acrescentou.

A vice-presidente da Comissão da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB/SP), Raquel Macedo Rocha, disse que a sociedade LGBT não compactuará mais com manifestações intolerantes que incitem a violência no País. “Esse tempo já foi, e é isso que o movimento quer mostrar. É um movimento pacífico para dizer ´nós existimos e não queremos nada mais do que o senhor (Levy Fidelix) acha que queremos´. Queremos liberdade e igualdade, somos cidadãos que pagam impostos e temos direitos e deveres”.

Maria Júlia Giorgi faz parte do grupo Mães pela Igualdade, e contou que participou do ato porque tem um filho homossexual que foi agredido um dia depois do debate no qual Fidelix falou contra os gays. “Meu filho e o namorado foram passar férias em Natal e sofreram ataque homofóbico lá. Eles foram abordados por dois homens na praia e foram ameaçados de morte, estupro, assaltados e perseguidos. Sorte que a população ajudou e eles conseguiram entrar em um restaurante que forneceu um veículo para levá-los ao hotel”, disse ela.

Segundo ela, não foi a primeira vez que seu filho sofreu um ataque desse tipo. Em outras duas situações ele sentiu medo devido à intolerância contra homossexuais. “Nós temos que proteger nossos filhos. Somos famílias bem constituídas e amorosas, apesar do que ele fala. Nossos filhos não estão sozinhos. Todos eles já têm alguma experiência por conta de agressão homofóbica. O discurso feito na televisão é um incentivo ao ódio, e um ódio que não sabemos de onde sai, porque esse estigma que ele (Fidelix) coloca, da promiscuidade, não existe. Gays são seres humanos”, arrematou Maria Júlia.

O candidato Levy Fidelix não foi encontrado para comentar sobre a manifestação.

Fonte: Agência Brasil




Meses secos favorecem queimadas na Chapada do Araripe


Os meses de setembro a dezembro são considerados pelo Corpo de Bombeiros, o período mais crítico para o surgimento de focos de incêndios, por causa da estiagem. E, apesar de que neste ano os números são positivos, com a queda das ocorrências em relação aos anos anteriores, o comandante da Seção do Corpo de Bombeiros deste município, capitão Leoni Grangeiro, diz que é necessário ficar atento.

"Estamos tendo um ano bem atípico, sem um número elevado de ocorrências em vegetação. Nos últimos anos, o ano com maior incidência foi 2012. Tivemos um recorde em incêndios em vegetação pelo fato de ter sido um ano mais seco, com início da estiagem já no mês de maio. Neste ano, tivemos algumas ocorrências nos meses de agosto e setembro, mas tudo dentro da normalidade. Todas em torno do Crato, onde 99% dos nossos serviços estão concentrados", disse o capitão.

Até o mês de janeiro, a prática de queimadas se torna mais frequente nas áreas urbanas e encosta da Chapada do Araripe. Durante o mês de setembro foram registrados pelo Corpo de Bombeiros apenas 13 focos de incêndio na região, sendo todos de pequena proporção.

Monitoramento

Em todo o Estado do Ceará, em 2014 o Corpo de Bombeiros apagou até o mês de setembro 514 focos de incêndios em vegetação. O monitoramento das principais áreas de calor é feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

De setembro a novembro é o período mais crítico, explica Leoni, porque somente começa a chover, em dezembro. Com isso, as estatísticas até zeram, mas se não se iniciam chuvas no último mês do ano, segue o período crítico até as primeiras chuvas. "O maior número de ocorrências é mesmo setembro e outubro, mas este ano tivemos um setembro bem mais calmo", observou.


Desequilíbrio

Uma das maiores con-sequências das queimadas está relacionada à migração de animais silvestres. Eles buscam refúgio em outras áreas, que muitas vezes não são seu habitat natural, e isso segundo os especialistas provoca um desequilíbrio ambiental na Chapada do Araripe.

Atualmente, o grupamento do Corpo de Bombeiros no Crato tem uma equipe de 16 bombeiros para atender todas as ocorrências. As solicitações em sua totalidade partem de chamadas da população para o 193. "Eles informam onde está acontecendo o fogo e a nossa equipe se desloca até o local para fazer a extinção do incêndio imediatamente". Mas, segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, as chamadas ainda são tardias e quando as equipes chegam ao local, o incêndio já está em proporções de grande intensidade.

"É interessante que esta informação chegue o mais breve possível, como também por ocasião de um pequeno foco de incêndio que se inicie em uma área de fácil acesso, a população pode até fazer o primeiro combate para evitar que ele atinja grandes proporções", disse.

Segundo ele, considerando que pode haver mais de uma ocorrência no mesmo instante como só há uma equipe, se esta já estiver em combate, vai demorar para chegar na outra situação de crise.

Prevenção

De acordo com o comandante, o Corpo de Bombeiros somente como instituição tem limitações para fazer prevenção em todos os locais, mas segundo ele existem órgãos como as Secretarias Municipais de Meio Ambiente, o Geopark, o ICMBio, que fazem trabalhos em conjunto conscientizando a comunidade.

A população deve ser o agente desta prevenção e evitar as queimadas. Temos muitos incêndios aqui, e estão relacionados com a ação das pessoas. Muitas vezes aquele lixo doméstico que a pessoa faz o acúmulo e promove uma fogueira, e isso sendo feito em um período quente, a partir das 10h, até às 16h, representa um risco. De repente daquela queima pode ser levado uma fagulha para uma vegetação seca com o vento e virar um grande incêndio, alerta.

Outra preocupação das autoridades é com incêndios às margens das rodovias, pois 99% desses incêndios ocorrem pela ação humana, seja intencional ou acidental, revela o comandante. "Diversos focos ocorrem às margens das estradas e acontecem de forma intencional e criminosa. Desse modo, há um outro complicador, pois existem ali pastagens para criação de animais, o que pode causar prejuízos naturais e financeiros".

Na floresta Nacional do Araripe ainda não ocorreu nenhum foco neste ano, mas nas proximidades, como no parque granjeiro já foram registradas ocorrências. Porém, foram apenas pequenos focos.

O Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) conta com uma brigada de incêndio na floresta com equipes distribuídas entre Crato e Barbalha, atuando na prevenção dos incêndios. Segundo o Corpo de Bombeiros, grande parte da queima de vegetação que acontece na Chapada do Araripe é provocada, geralmente, pela falta de cuidados dos agricultores que manuseiam o fogo.

As queimadas podem ocorrer de forma criminosa, intencional ou acidental. A maioria ainda acontece de forma acidental. Mas, há pessoas que insistem em jogar pontas de cigarro acesas próximo a vegetações e beiras de rodovias e estas podem representar grande perigo. De acordo com a Lei 9.605 de 1998, provocar incêndios de qualquer proporção pode configurar um crime contra o meio ambiente.

Mais informações:

Corpo de Bombeiros – Crato
Rua Maria Maíldes de Siqueira,
167
Bairro Pimenta
Telefone: (88) 3102.1253

Fonte: Diário do Nordeste





142,5 milhões de eleitores vão às urnas neste domingo em todo o país

Cerca de 142,5 milhões de eleitores devem ir às urnas neste domingo (5) em todo o país para escolher o próximo presidente da República, além de governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais e distritais.

Na eleição mais informatizada do planeta, serão utilizadas cerca de 530 mil urnas eletrônicas, o que permitirá que o resultado final da eleição seja conhecido cerca de três horas após o encerramento da votação – o número total de máquinas de votação inclui os equipamentos extras disponibilizados para a eventualidade de algum dispositivo quebrar.

As eleições contarão com mais de 2,4 milhões de mesários distribuídos por todo o Brasil e em 89 países. Desse total, aproximadamente 1,3 milhão são voluntários, o que corresponde a 54,2% do total.

No total, 254 cidades em 11 estados terão o apoio de tropas federais nas eleições deste ano, incluindo as capitais Manaus e São Luís. Em Santa Catarina, onde vários municípios têm sido alvos de ataques criminosos, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o envio de tropas federais para reforçar a segurança.

Horário de votação

As mais de 450 mil seções eleitorais, locais onde ficam instaladas as urnas eletrônicas, estarão abertas das 8h às 17h.

Urna eletrônica

Na urna eletrônica, os eleitores votarão primeiro para deputado estadual ou distrital; depois, deputado federal; em seguida, senador e governador e, por fim, presidente da República.

A estimativa é que, em média, cada eleitor demore 1 minuto e 14 segundos para votar, considerando-se o momento em que ele se identifica ao mesário até o instante em que confirma o último voto na urna eletrônica.

Documentos para votar

Para votar, é obrigatório que o eleitor apresente um documento oficial de identificação com foto, que poderá ser, por exemplo, carteira de identidade ou identidade funcional (como OAB). Também são aceitos certificados de reservista, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação.

Ainda que não seja obrigatório, o TSE recomenda a apresentação do título de eleitor para facilitar a localização da zona eleitoral e da seção de votação. Os eleitores, no entanto, não poderão votar se identificando apenas com o título, uma vez que o documento não tem foto.

Identificação biométrica

Neste ano, cerca de 21,6 milhões brasileiros vão votar usando a identificação biométrica. Esse número, que representa 15,18% de todo o eleitorado do país, está distribuído por 762 municípios, incluindo 15 capitais, como Goiânia, São Luís, Recife e Curitiba. Caso as digitais do eleitor não sejam reconhecidas pelo equipamento de leitura biométrica acoplado à urna, será necessário que ele apresente o título de eleitor ou documento oficial com foto.

´Cola´

Para facilitar a votação, a lei permite que os eleitores levem uma “cola” com os números de seus candidatos.

Camisetas e broches

Também é liberado o uso de camiseta, bandeira, broche e adesivo no momento da votação, desde que o eleitor manifeste a sua preferência política de maneira “silenciosa”.

Prisões de eleitores

Pela legislação eleitoral, para evitar perseguição política, nenhum eleitor poderá ser preso nas 48 horas posteriores ao término da eleição, exceto em flagrante ou se existir contra ele uma condenação por crime inafiançável, como racismo ou tortura, ou ainda por desrespeito a salvo-conduto.

Boca-de-urna

Quem fizer boca-de-urna, como o recrutamento de eleitores ou propaganda, poderá ser preso. A pena varia de seis meses a um ano de detenção, podendo ser trocada por prestação de serviços à comunidade, além de multa que pode chegar a quase R$ 16 mil.

No dia da votação, também são proibidos o uso de alto-falantes e amplificadores de som, a realização de comício ou carreata e a divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos.

Justificativa

Quem não conseguir votar neste domingo, deve justificar a ausência no local de votação mais próximo. É preciso documento de identifidade oficial com foto e, de preferência, o título de eleitor.

Quem não votar e não conseguir justificar, precisa procurar um cartório eleitoral dentro de 60 dias após cada turno da eleição para regularizar a situação.

Voto em trânsito

Segundo o TSE, 84.418 eleitores entraram com pedido para votar em trânsito no 1º turno e 79.513, no 2º turno. Neste caso, os eleitores só poderão escolher o presidente e o vice-presidente da República.

Lei seca

Haverá restrição ao consumo e venda de bebidas alcoólicas em pelo menos 15 estados no domingo (5), dia de eleição em todo o país. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cabe à Secretaria de Segurança Pública de cada estado definir se aplica a "lei seca" nas eleições, por meio de portarias, em conjunto com a Justiça Eleitoral. O tempo de vigência da restrição também é definido localmente.

Fonte: G1




Jihadistas controlam parcialmente monte próximo a Kobane, na Síria


Combatentes jihadistas do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) tomaram parte de um "estratégico" monte junto ao reduto curdo-sírio de Ain al-Arab (conhecida como Kobane pelos curdos), na fronteira com a Turquia, após duros combates com milicianos curdos, informou neste domingo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Segundo o OSDH, o EI assumiu no sábado o controle da conhecida como colina Machta Nour, após intensos confrontos entre as Unidades de Proteção do Povo Curdo e os jihadistas.

Pelo menos 16 membros do EI e 11 milicianos curdos morreram nesses combates, indicou o Observatório em comunicado.

Desde o começo da ofensiva do EI na região, os radicais tomaram mais de 350 povoados dos arredores Kobani.

Os curdos consideram que a única forma de vencê-los seria destruindo suas armas pesadas, que lhes tornam superiores no terreno.

Fonte: G1, com agência EFE