-->

1 de setembro de 2016

Não foi Deus quem pagou Janaína pelo parecer do impeachment. Foi o PSDB

O julgamento do impeachment no Senado ficará marcado indelevelmente não apenas pela farsa em si, mas pelo baixo nível dela, expresso de maneira definitiva na advogada de acusação Janaína Paschoal.

Em seu discurso na terça, 30, depois de um dia em que Dilma passou 14 horas encarando seus "juízes", inclusive ela, Janaína aproveitou seu instante de brilhareco para constranger até seus aliados.

Messiânica, convencida, como Moro e seu "time", de que está salvando o país, quiçá o mundo, Janaína invocou o Senhor - aquele mesmo que já tinha aparecido para ela no Largo de São Francisco - e as crianças.

"Eu acho que se tiver alguém fazendo algum tipo de composição neste processo é Deus. Foi Deus que fez com que várias pessoas, ao mesmo tempo, cada uma na sua competência, percebessem o que estava acontecendo com nosso país e conferisse a essas pessoas coragem para se levantarem e fazerem alguma coisa a respeito", disse.

E chorou."Quero o povo brasileiro com o coração tranquilo, que sinta que isso aqui é necessário", prosseguiu. "Eu peço desculpas porque eu sei que, muito embora esse não fosse o meu objetivo, eu lhe causei sofrimento [a Dilma]. E eu peço que ela, um dia, entenda que eu fiz isso pensando, também, nos netos dela".

Não há canalha maior do que o canalha que arrota superioridade moral, o sujeito que espanca alguém enquanto sussurra que é para seu bem.

Se Janaína traz alguma novidade ao debate é a constatação triste de que avançamos irreparavelmente em direção ao passado. O traço medieval do golpe é a cereja do bolo.

Da Inquisição ao Estado Islâmico, do pastor Malafaia a George W. Bush, passando por Charles Manson e Chico Picadinho - todo fanático acha que está realizando a obra do Altíssimo.

Não foi Jesus Cristo quem pagou 45 mil reais para Janaína Paschoal produzir o parecer que fundamentou a denúncia. Em abril, confrontada por Vanessa Grazziotin na comissão do impedimento no Senado, Janaína contou: "Eu fui contratada pelo PSDB em maio. Nós propusemos o processo em setembro. Recebi 45 mil reais para fazer o parecer".

Os cidadãos indignados que atenderam a um chamado divino, como os rapazes do MBL, foram financiados pelo PMDB, PSDB, DEM e Solidariedade.

Miguel Reale Jr., orientador de Janaína, tucano histórico, encomendou o parecer. Ele decidiria, mais tarde, apresentar uma representação ao Ministério Público Federal contra Dilma por crime comum.

Janaína, Hélio Bicudo e Reale Jr acabariam entrando num acordo e apresentando em outubro o pedido de impeachment que seria acolhido pelo arcanjo Gabriel, disfarçado de Eduardo Cunha.

Janaína ocupou, por duas vezes, cargos em governos tucanos. No segundo mandato de FHC, foi assessora especial do ministério da Justiça, exonerada em 2002. Atuou ainda na gestão de Geraldo Alckmin como assessora técnica de gabinete do governo.

Em março, declarou à BBC Brasil: "Entre a primeira intenção e a conversa com Hélio Bicudo foram três meses, depois de falar com muita gente. Falei sobre o tema na OAB de São Paulo, onde sou conselheira, e também com professores de direito e colegas advogados. Até o PSDB eu procurei, mas ninguém se habilitava".

No início de "Mein Kampf", Hitler escreveu: "Eu acredito que hoje minha conduta está em acordo com o desejo do Criador Todo Poderoso". Deu no que deu.

Se Deus existisse, já teria processado todo esse pessoal.

Diário do Centro do Mundo

Temer presidente é um desastre para o Brasil, diz ministro de FHC


Sem demonstrar surpresa com o resultado da votação desta quarta (31) no Senado, o ex-secretário de Direitos Humanos de Fernando Henrique Cardoso, Paulo Sérgio Pinheiro, definiu o desfecho do processo de impeachment como “um desastre para o Brasil”.

“Esse processo já está marcado desde o seu início, foi produto de uma conspiração palaciana e parlamentar. Estamos agora na mesma galeria de Honduras e Paraguai. É grotesco, porque não há nenhum crime de responsabilidade e isto foi provado pelo Ministério Público Federal”, disse.

“É um desastre para o Brasil. Um desastre que esse vice se torne presidente. Ele não se torna legítimo porque esse processo é totalmente ilegítimo. A crise política vai continuar, vai se agravar a tensão social, um governo totalmente antipopular, disposto a usar a lei antiterrorismo. Então, as perspectivas são as piores possíveis”, afirmou Pinheiro, que desde 1995 tem desempenhado diversas funções na Organização das Nações Unidas (ONU), entre elas, a de presidente da Comissão Internacional de Investigação para a Síria.

Para ele, a decisão ilegítima do impeachment diante da não comprovação de crime de responsabilidade é ainda agravada ao ser tomada por um Congresso sem autoridade moral. “Tanto na Câmara, onde tem dezenas de deputados sendo processados, o próprio líder do governo interino é processado por homicídio, quanto no Senado, onde quase a metade está submetida a processo criminal, é um parlamento sem qualquer autoridade moral para fazer qualquer impeachment, muito menos este que, a meu ver, é um golpe de estado. Boa parte dos mandatos destes deputados foi comprada por lobbies e grupos interessados, e eles são paus mandados deste apoio financeiro.”

Paulo Sérgio Pinheiro demonstrou não ter dúvida do que virá pela frente, a partir de agora, com a efetivação de Michel Temer na presidência. “Com esse Congresso, eles vão aprovar todas as pautas bombas e projetos retrógrados com relação às mulheres, às crianças, ao trabalho escravo, tudo vai ser aprovado. Vão ser políticas regressistas, reacionárias, conservadoras, discriminatórias, sexistas, machistas, esse é o futuro”, apontou.

Pinheiro acredita, porém, que a proposta de congelar os gastos públicos em educação e saúde por 20 anos terá dificuldade em ser aprovada. “Vai custar muito caro para este governo comprar estes votos. Mas o panorama é o pior possível, é retrocesso e repressão. Eu não tenho nenhuma expectativa em relação ao futuro.”

Sobre o papel do PMDB no processo de impeachment, o ex-ministro definiu como o “coveiro” da presidenta Dilma Rousseff. “Foram os coveiros da República. Nós hoje somos uma República de Bananas por causa do PMDB.” E apesar de não esperar grandes reações populares contrárias ao novo governo, refletindo que isto não faz parte da cultura da sociedade brasileira, Pinheiro acredita que é preciso cobrar o governo Temer e manter a mobilização dos setores mais organizados.

“Tem que haver uma cobrança implacável deste governo ilegítimo. Reforçar a sua ilegitimidade, fazer críticas de todos estes projetos retrógrados e que os setores organizados continuem a manter sua organização. Mas protesto na rua eu não vejo por ora. Em toda a minha vida, a resistência social ficou devendo, a não ser no Rio Grande do Sul, com a Campanha da Legalidade e a defesa da posse do Jango. Então, eu não aposto em resistência popular ao golpe de estado, não vejo nenhuma possibilidade."

Com relação ao papel do Supremo Tribunal Federal (STF) ao longo do processo, o ex-coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV) definiu como uma “vergonhosa inação”. E embora defenda o recurso que a defesa de Dilma Rousseff anunciou que fará, disse não ter muita esperança. “Eu espero que o recurso tenha algum êxito, mas pelos movimentos letárgicos do Supremo em vários momentos, eu não vejo, diante desta celebração do golpe... eu não espero nada deste Supremo”, disse, lembrando ainda a posição omissa do STF no período do Estado Novo e durante a ditadura civil-militar. “Durante a ditadura eles ficaram quietinhos com a supressão do habeas corpus e se inclinaram ao domínio militar.”

Perguntado sobre as consequências do impeachment diante da divisão na sociedade, claramente exposta desde o processo eleitoral de 2014, Paulo Sérgio Pinheiro acredita que irá se agravar. “O Brasil é um país dividido. É um país racista, autoritário, desigual, com renda estupidamente concentrada, então é evidente que é um país dividido, antes e depois da eleição. Essa divisão só vai se agravar com esse golpe de estado.”

Rede Brasil Atual

Saddam, Kadhafi, BRICS e o bem estar dos norte-americanos


Saddam e Kadhafi criaram pesadelos para os Estados Unidos quando deixaram de usar o papel pintado dólar em comércio do petróleo e isso levou a que ambos não estejam mais entre os vivos.

Hoje são os BRICS que tiram o sono dos norte-americanos que serão até mesmo capazes de criar uma guerra nuclear para que o dólar continue sendo a moeda padrão do planeta.

Valter Xéu*

O dólar é uma moeda cujo lastro é toda a riqueza produzida no mundo e caso isso deixe de acontecer, será a falência pura e simples dos Estados Unidos que possui a maior dívida externa em todo mundo.

Com o fim do dólar como moeda padrão, a maioria dos países deixará de aplicar suas reservas na compra de bônus do tesouro norte-americano e procuraria outras moedas mais rentáveis.

Os Estados Unidos sempre tem o hábito de criar atritos com países ricos do Terceiro Mundo, principalmente os que têm dinheiro aplicado em bancos americanos ou onde Washington tenha influências para congelar os fundos aplicados como acontece com o Irã que tem mais de 100 bilhões de dólares congelados nos Estados Unidos em função das sanções aplicados pela Casa Branca por seu projeto nuclear.+

Outro artificio criado pelos Estados Unidos é acusar o pais cujo dinheiro esta bloqueado de algum ato de sabotagem com vítimas e o dinheiro ser usado para pagar indenizações na justiça americana em julgamentos em que às vezes demora muitos anos.Essa grana apesar de congelada não fica parada, mas os lucros jamais serão repassados para o país dono dela.

E assim, o mundo vai assistindo o que é chamada erroneamente no ocidente como a maior democracia do planeta, usar todo o tipo de artificio pelo mundo para criar o bem de estar da sua população, mesmo que para isso assassinem chefes de estados, matem milhares de pessoas e destrua países como o Iraque, Líbia, Iugoslávia, Afeganistão, Síria, Vietnã, Laos e seus vizinhos no continente americano sendo que nesses, os métodos hoje aplicados são outros.

Vão lá compram o parlamento, a justiça, a mídia e os seus interesses são preservados sem um único disparo de um tiro.

*Valter Xéu é diretor e editor dos portais Pátria Latina e Irã News e analista internacional do Palestina Liberation.

port.pravda.ru

Em editorial, o El País alerta: Golpe baixo no Brasil; fraude lança grave sombra sobre o seu futuro imediato

O jornal espanhol El País publicou na quarta-feira (31/08) um editorial intitulado “Golpe baixo no Brasil” em que alerta para os danos que a destituição de Dilma Rousseff pelo Senado pode ter para as instituições brasileiras.

“A destituição da presidenta brasileira, Dilma Rousseff, aprovada ontem pelo Senado do país por 61 votos a favor e 20 votos contra constitui um golpe baixo ao funcionamento institucional de um país que, durante décadas e com esforço, se converteu em exemplo de democracia consolidada para toda a região [América Latina]”, diz o veículo.

Para o El País, os partidos políticos de oposição a Dilma “ajustaram a jogos políticos” o procedimento de impeachment, “sem se importar com o dano que causaria à legitimidade democrática”.

O jornal acredita que o impeachment, mecanismo previsto na Constituição brasileira, só pode ser usado em “casos excepcionais” e “extremamente graves”, visto que pode provocar uma “grave crise política e institucional”.

“Mas este não é o caso com Dilma Rousseff”, afirma a publicação. “Ao ser impossível encontrar uma prova de implicação no escândalo da Lava Jato, uma rede de corrupção generalizada na qual estão implicados destacados membros de partidos que ontem votaram contra ela, os legisladores recorreram a um motivo (…) que, ainda que previsto na Constituição, carece de suficiente força política para justificar a destituição de Rousseff e o trauma e divisão que estão caindo sobre o país”.

Segundo o El País, o fato de Dilma ainda estar habilitada a ocupar cargos públicos — justamente o contrário do que prevê o impeachment, isto é, inabilitação política por oito anos — “demonstra que o Congresso brasileiro aplicou as normas sobre destituição com objetivos bem diferentes aos que a norma determina”.

“Estamos diante de uma fraude de lei que lança uma grave sombra sobre o futuro imediato do Brasil, mais necessitado de unidade perante a crise econômica e política do que de divisões irreconciliáveis”, concluiu o jornal espanhol.

Do Opera Mundi

Justiça Eleitoral impugna chapa Paulo Duarte e Rosálio Daniel

O candidato Paulo tem 03 (três) dias para recorrer ou substituir o candidato a vice-prefeito. O Registro de Candidatura de Paulo Duarte e Rosálio Daniel está INDEFERIDO. O Ministério Público Eleitoral pediu e a Justiça Eleitoral acatou o pedido de IMPUGNAÇÃO DO REGISTRO DE CANDIDATURA dos Candidatos Paulo Duarte e Rosálio Daniel, pelo fato das Contas do candidato à vice-prefeito Rosálio Daniel terem sido reprovadas pelo Tribunal de Contas do Município, sendo considerado FICHA SUJA.

Confira abaixo o Despacho:


Tv Jaguar

Três cidades do Ceará têm mais eleitores do que habitantes

Comparação não indica necessariamente que haja um problema. O número de eleitores, por exemplo, pode ser influenciado por fatores como pessoas que mudaram de cidade, mas não transferiram seu título de eleitor ( Foto: Arquivo )
Um cruzamento entre os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a última estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada dia 30 de agosto, mostra que três cidades do Ceará possuem mais eleitores registrados do que habitantes. O levantamento foi feito pelo jornal Folha de S. Paulo e revela que, em todo o Brasil, 352 municípios têm mais votantes do que moradores. 

Conforme os dados, a cidade de General Sampaio possui, para o pleito deste ano, 7.500 eleitores enquanto a estimativa populacional do IBGE é de 6.845 habitantes em 1º de julho de 2016. A situação é semelhante em Granjeiro, que tem 411 eleitores a mais do que pessoas residindo na cidade. Em Guaramiranga, a diferença é ainda maior. O município localizado no Maciço de Baturité registra 2.096 votantes a mais do que residentes.

Segundo a Folha de S. Paulo, essa comparação não indica necessariamente que haja um problema. O número de eleitores, por exemplo, pode ser influenciado por fatores como pessoas que mudaram de cidade, mas não transferiram seu título de eleitor, ou por pessoas que morreram, porém a Justiça Eleitoral não ficou sabendo. 

O levantamento mostra que o número de eleitores superior ao de habitantes ocorre, na maioria das vezes, em cidades pequenas do Interior. Desses 352 municípios, 296 têm menos de 5 mil habitantes. Uma a cada quatro está em Minas Gerais; somando-se as de Goiás e Piauí, chega-se quase à metade delas.

Diário do Nordeste

Homem tem residência arrombada e equipamentos furtados em Russas

Homem tem residência arrombada, equipamentos eletrônicos, e pertences pessoais furtados na madrugada desta quarta-feira (31), no bairro do Planalto da Bela Vista, em Russas.

A ocorrência foi registrada por volta das 03h00 da madrugada, no Conjunto Gerardo Matoso. A vítima, um homem de 34 anos, informou a polícia que ao chegar em casa percebeu que a mesma havia sido arrombada, e que os meliantes tinham levado: uma TV 32 polegadas, um aparelho de DVD, um aparelho celular, e uma bolsa. A Polícia segue investigando o caso.

Com Informações do 1ºBPM

MPCE investiga indícios de fraude em concurso da Câmara de Sobral

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) cumpriu nesta quarta-feira (31) dois mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal de Sobral, no Norte do Ceará, e na sede do Instituto Cidades, em Fortaleza. Objetivo da ação é apurar indícios de fraude em licitação e pagamento a mais, relacionados a concurso público realizado em dezembro de 2015 para preenchimento de cargos do poder legislativo.

A ação foi autorizada pelo juiz da 1ª Vara Cível de Sobral, Maurício Fernandes Gomes.
O G1 tentou falar com membros da diretoria do Instituto Cidades em Fortaleza, que não se encontravam na sede do Instituto. O Instituto também não forneceu os números dos telefones pessoal da diretora.

De acordo com o promotor de Justiça Plínio Augusto, do MPCE, além dos mandados de busca e apreensão, o juiz também determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do Instituto Cidades e de oito pessoas envolvidas no processo de licitação para a contratação da instituição que promoveu o concurso.

“De posse deste material vamos investigar se houve ou não pagamento a mais pelo serviço contratado e se a licitação foi elaborada com vícios para que apenas o Instituto Cidades tivesse condições de participar ou, ainda, se houve conluio entre outros prováveis participantes do processo licitatório para que a vencedora fosse o Instituto Cidades”, explica.

O Ministério Público – que contou com o apoio da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap) na ação – investiga também se houve pagamento a mais da ordem de R$ 160 mil, em comparação com os preços de mercado, no valor pago ao Instituto Cidades para realização e aplicação do concurso público.

G1/CE

Homem tenta matar outro a golpes de foice em Palhano


Por volta do meio-dia desta quarta-feira (31), a PM foi acionada para uma ocorrência na Localidade de Medeiros, em uma Barraca, próxima a Barragem do Açude, zona rural de Palhano (CE). Onde segundo populares, em meio a uma bebedeira dois homens teriam se desentendido, e um deles teria golpeado o outro na cabeça com uma foice.

A vítima foi identificada como sendo Paulo Dantas, 56 anos, natural de Salinópolis-CE. O mesmo foi socorrido por populares ao hospital local, e em seguida para o hospital de Russas, que devido a gravidade do ferimento, foi encaminhado ao IJF de Fortaleza.

José Neilson Ferreira de Castro, 39 anos, natural de Palhano, acusado de cometer a tentativa de homicídio foi preso em meio a um matagal após tentar fugir, e conduzido até a Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante no Art. 121C/C 14, (Tentativa de Homicídio).

Com Informações do 1ºBPM

BP Raio prende homem por tráfico de drogas na Vasco da Gama em Russas


Um homem de 20 anos foi preso em flagrante vendendo drogas na rua Vasco da Gama, bairro Lagoa do Toco, em Russas, na manhã desta quarta-feira (31), de acordo com a Polícia. 

Wanderson de Lima, vulgo 'Vei', foi preso durante Patrulhamento Ostensivo do BP Raio, em posse de 7,0 gramas de Maconha, 2,4 gramas de Crack, sacos para a embalagem e uma balança de precisão.

Os Policiais deram voz de prisão ao suspeito e o conduziram até a Delegacia de Polícia Civil, onde o mesmo foi autuado no ART. 33 do Código Penal (Tráfico de Drogas).

Com Informações do 1ºBPM