-->

10 de janeiro de 2016

MOSSOROENSES SÃO PRESOS DURANTE OPERAÇÃO "PRAIA DE SEGURO" EM ICAPUÍ-CE


Durante uma operação denominada "operação Praia de Seguro"na cidade de Icapui na divisa do estado do Rio Grande do Norte com o Cerará neste domingo 10 de janeiro de 2016,resultou na prisão de quatro indivíduos armados com uma pistola e traficando na Praia.De acordo com as primeiras informações os indivíduos residem na cidade de Mossoró-RN.A operação que foi realizada por equipes da Polícia Militar do Ceara, Policiamento dos Destacamentos de Icapui e Cacimba Funda/Aracati, conjuntamente com efetivo do Batalhão de Turismo,foi apreendido com os quatro uma pistola taurus 380, munição, vinte e dois frascos de loló, e R$ 50,00 ( cinquenta reais) em dinheiro, um veículo WV Golf de placas NOD 6640/Mossoró-RN .A operação montada com um efetivo de 08 PMS e duas viaturas.Em instantes mais informações.





Passando na Hora

Mais um preso da quadrilha que trocou tiros com a PM em Jaguaretama


O segundo suspeito de participar de um tiroteio que vitimou o policial Hudson Lima, em Jaguaretama, foi preso na madrugada deste domingo, 10, em Solonópole. Raimundo Nonato Martins, 30, foi capturado por equipes da Polícia Militar de Jaguaretama e de Jaguaribe. 

Segundo a PM, o suspeito, conhecido como “Sula”, foi detido em uma residência na zona rural de Solonópole. Ele foi encaminhado ao destacamento de Jaguaretama, onde acabou confessando a participação no crime. 

Hudson teve morte encefálica confirmada por volta das 11h05min deste sábado, 9. Ele era lotado no 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Quixadá, sob o comando do tenente-coronel Ednardo Calixto.

O primeiro suspeito de participar do tiroteio foi preso pelo Comando Tático Rural (Cotar), na noite da última sexta-feira, 8. 


Informação extraída de Casos de Polícia Ceará-Brasil

Família é vítima de série de tentativas de homicídio


Desde junho do ano passado, os membros de uma família vivem sob a constante ameaça de morte. A Polícia investiga a série de tentativas de homicídios registradas em que dois homens acabaram mortos e um ferido.

A primeira vítima foi o empresário e radialista Francisco Rodrigues de Lima, morto em 9 de junho, no estacionamento da rádio onde apresentava um programa diariamente, no município de Pacajus, na Região Metropolitana. Na sequência, os dois filhos de Lima também foram ameaçados. Um deles, foi atingido por quatro tiros mas sobreviveu.

Conforme a família, já no velório do radialista teve início as ameaças. Na ocasião, um automóvel passou repetidas vezes em frente ao local daquela cerimônia, cantando pneu, deixando as pessoas amedrontadas.

Já no dia 28 de agosto, enquanto a Polícia Civil investigava a morte de Francisco Rodrigues de Lima, novo atentado: desta vez, Francisco Fábio Bringel de Lima, filho do radialista, foi alvejado Fábio, àquele momento, era um dos principais colaboradores das investigações policiais realizadas para elucidar a morte de seu pai. A investigação do atentado contra a vida de Fábio ficou, à época, a cargo do Delegado Pedro Viana, titular do 12º DP (Conjunto Ceará), responsável pela área, com apoio da Delegacia Municipal de Pacajus. Apesar dos ferimentos, Fábio sobreviveu ao atentado a bala.

Já no mês de outubro, foi a vez da filha do radialista ser vítima de uma tentativa de homicídio. No entanto, o companheiro dela acabou morto.

O crime aconteceu no dia 8 de outubro, em uma churrascaria na Avenida Washington Soares, bairro Messejana. O escrivão de Polícia Civil Roberto Cosme Bezerra foi assassinado enquanto jantava com Jusceline Maria Bringel de Lima, filha de Francisco Rodrigues de Lima e irmã de Franscico Fábio Bringel de Lima.

O caso passou então a ser investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), sob a presidência da diretora da Especializada, delegada Socorro Portela, que centralizou todas as investigações dos dois homicídios e da tentativa.

Prisão

Ainda no mês de outubro, foi preso Francisco das Chagas Sobrinho Sá, ex-companheiro de Jusceline. À Políca, ele confessou ter sido o mandante do assassinato do policial civil Roberto Cosme Bezerra. À época, foram presos também outros dois homens que segundo as investigações teriam também tido participação no crime.

Representam a família os advogados Leandro Vasques, Holanda Segundo e Afonso
Belarmino.

Vasques afirmou que "a família, ao tempo em que se coloca permanentemente sentinela para colaborar com as investigações, está confiante no trabalho da Polícia Civil e espera que em breve possam ser totalmente elucidados os crimes".

Diário do Nordeste