-->

16 de abril de 2016

Criminosos miram a PM e realizam cinco novos ataques

Em menos de 24 horas, outros cinco atentados criminosos foram registrados no Ceará. Desta vez, de forma audaciosa, as ações miraram a Polícia Militar. Um coquetel molotov foi arremessado contra o quartel do município de Sobral, na Região Norte do Estado, onde a Câmara dos Vereadores já havia sido atacada. Em Fortaleza, uma base do programa Crack, É Possível Vencer, foi alvejada por disparos de arma de fogo. Houve troca de tiros com um soldado, mas os criminosos conseguiram fugir. Não houve feridos. Ao todo, 11 ações foram registradas em 11 dias.


O ataque à base do Genibaú se deu na madrugada de ontem. Foi praticado por dois homens e está sendo investigado pela Polícia Civil, com o apoio da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e da Inteligência da PM. Já a ação contra o 3º Batalhão, em Sobral, ocorreu às 21h40min da quinta-feira. As investigações, ainda em aberto, apontam que os autores seriam do mesmo grupo que atacou a Câmara. O policiamento na cidade já havia sido reforçado, o que não inibiu os ataques.



Na mesma noite, a terceira antena de telecomunicações foi incendiada no Estado. Desta vez, o alvo foi uma torre localizada no bairro Canindezinho, em Fortaleza. Homens atearam fogo em dispositivos de transmissão do equipamento e fugiram. Em nota, a SSPDS apontou que as ações podem ter sido praticadas por oportunistas que querem “gerar uma sensação de insegurança para a população” e que os casos estão sendo investigados.



Veículos



Já na cidade de Tianguá, a 335,8 km de Fortaleza, houve duas tentativas de incêndio, contra um ônibus e um micro-ônibus. Na noite de quinta-feira, no Centro, dois homens utilizaram álcool para atear fogo em um ônibus que faz o transporte de universitários e estava parado em frente a uma faculdade. O fogo não se propagou e foi apagado.



Pela manhã, às 8h30min, houve a tentativa de incendiar um micro-ônibus, com o uso de gasolina. O fogo também foi apagado e a perda foi parcial. O veículo é usado no transporte escolar particular e foi atacado em frente à residência do proprietário, no bairro Aeroporto. Não houve feridos. A suspeita é que as mesmas pessoas estejam envolvidas nos dois fatos, visto que ambos os delitos foram cometidos com o uso de uma motocicleta de cor vermelha.



Saiba mais


A motivação dos ataques ainda é desconhecida. As investigações ocorrem de forma descentralizada e não há confirmação de que as ações estejam interligadas. Porém, uma das possibilidades apuradas pela Polícia Civil aponta para retaliação à legislação que determina o bloqueio do sinal de celulares no perímetro dos presídios do Estado.

O Povo Online