-->

25 de agosto de 2015

Alemão é condenado a 80 anos por lavagem de dinheiro do Banco Central


Antônio Jussivan Alves dos Santos, o Alemão, foi condenado a 80 anos, dez meses e 20 dias em regime fechado pelo crime de lavagem do dinheiro obtido no furto à caixa-forte do Banco Central em Fortaleza. Ele aplicou o dinheiro, segundo as investigações, nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e no Distrito Federal.

Outras dez pessoas também foram condenadas por participação no crime, conforme a sentença expedida na última sexta-feira, 21, pelo juiz federal Danilo Fontenelle Sampaio. Os dados do processo foram disponibilizados ontem, no site da Justiça Federal no Ceará.

Em interrogatório realizado em 2008, Alemão chegou a confessar que usou a sua cota-parte para comprar bens na região Centro-Oeste do País. Entre as aquisições, estava uma casa e um sítio no município de Nobres, no Mato Grosso, outra casa no Distrito Federal e uma fazenda no município de Cocalzinho, em Goiás, onde criava carneiros.

Boa parte dos bens de Alemão foi posta nos nomes de dois “laranjas”. Eles eram Antônio Rivaldo de Oliveira Silva e José Silva Ferreira, que foram condenados, respectivamente, a 18 anos e oito meses e 21 anos e oito meses de reclusão.

Alemão, que continua preso em São Paulo, já havia sido condenado a 35 anos e dez meses pelos crimes de furto, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e uso de documento falso. Com esta segunda sentença, ele acumula 116 anos, oito meses e 20 dias de prisão em regime fechado. Antônio Jussivan aguarda mais um julgamento, agora na Justiça Estadual, por falsificação de documentos.

Saiba mais

Condenações

Também foram condenados:

Ana Neize Dias Pedrozo

Reginaldo Oliveira da Silva
Francinúbia Almeida de Oliveira

Antônio Jucival Ferreira Queiroz
Robson Nunes de Sousa

Zeleide Amaro de Castro Nunes
Edmilson Queiroz de Carvalho

Francisco das Chagas Ferreira Queiroz

Cobertura exclusiva

Em julho, O POVO iniciou uma série de reportagens exclusivas sobre os dez anos do furto ao Banco Central. O jornal trouxe documentos, vídeo inédito do interior da caixa-forte e da casa que serviu de base para o furto milionário.

O hotsite com o conteúdo completo pode ser acessado em
http://bit.ly/1LBzZ21

O Povo Online