-->

30 de setembro de 2014

EUA confirmam primeiro caso de ebola diagnosticado no país


Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos confirmaram, nesta terça-feira (30), o primeiro caso de ebola diagnosticado no país.
Trata-se de um paciente que havia sido isolado em um hospital de Dallas, no Texas, nesta segunda-feira (29), depois de apresentar sintomas compatíveis com o ebola. A informação foi confirmada pelo porta-voz do Hospital Texas Health Presbyterian, Stephen O'Brien, à CNN. O paciente, que não teve seu nome divulgado até o momento, já está sendo tratado na instituição.
Em coletiva de imprensa convocada pelo CDC na tarde desta terça-feira, Tom Frieden, diretor dos CDC, explicou que o paciente viajou da Libéria para os EUA no dia 19 de setembro e não apresentava sintomas.  Ele começou a apresentar sinais da doença quatro ou cinco dias depois. No dia 26 ele procurou ajuda médica e no dia 28 ele foi isolado no hospital no Texas.
Um comunicado divulgado pelo Departamento de Serviços de Saúde do Texas também afirmava que o paciente só começou a desenvolver os sintomas da febre hemorrágica dias depois de chegar ao Texas de sua viagem à África Ocidental.
Outros americanos infectados
Desde que começou a epidemia de ebola na África Ocidental, os Estados Unidos já tinham recebido outros americanos infectados pela doença. Porém, nesses casos, eles já chegaram ao país com o diagnóstico da infecção, com uma estrutura de isolamento já preparada para recebê-los.
Foi o caso do médicos missionários Kent Brantly e Rick Sacra, além da trabalhadora voluntária Nancy Writebol. Infectados na Libéria, os três foram tratados nos Estados Unidos e tiveram alta recentemente.
O Instituto Nacional de Saúde americano (NIH) reportou ainda ter recebido outro médico americano que foi exposto ao vírus enquanto trabalhava em Serra Leoa de maneira voluntária.
Mais de 3 mil mortos na África
O balanço mais recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) calculou que 3.091 pessoas já morreram de ebola desde o início da epidemia, em março, em cinco países da África Ocidental. Ao todo, 6.574 pessoas foram infectadas nessa região.
Só a Libéria já registrou 1.830 mortes, quase três vezes mais do que Guiné e Serra Leoa, os outros dois países mais afetados pela doença, de acordo com as informações da OMS.
A Nigéria e o Senegal, as duas outras nações que tiveram casos confirmados de ebola na região, não tiveram o registro de novos casos ou mortes.
Fonte: G1