-->

28 de setembro de 2018

Pressão surte efeito, Flamengo demite Barbieri e conversa com Dorival para encerrar o ano


Clima fica insustentável, e treinador é avisado no fim da noite de quinta-feira de que está fora e não volta para comissão permanente. Maurício Souza comanda treino em Salvador, e diretoria negocia com o mesmo treinador que abriu a gestão Bandeira, em 2013

O Flamengo embarca para a Bahia. Maurício Barbieri vai para casa. Minutos antes de seguir para Salvador, onde encara o Bahia, sábado, pelo Brasileirão, o Rubro-Negro oficializou a demissão do treinador. Dorival Junior, que abriu a gestão Bandeira de Mello, em 2013, assume o cargo.

O clima ficou insustentável para Barbieri após a derrota para o Corinthians, quarta-feira, pela Copa do Brasil. Desde o vestiário da Arena, a demissão era questão de tempo, e o Flamengo preocupava-se mais em encontrar um nome de consenso para troca. Até mesmo Eduardo Bandeira de Mello e Carlos Noval, antes defensores da permanência baixaram a guarda e foram convencidos pelo vice de futebol, Ricardo Lomba.

Cinco horas depois do anúncio da demissão, Barbieri se pronunciou:

- Foi um prazer trabalhar em um dos maiores clubes do mundo. Fico satisfeito e orgulhoso por ter ajudado na evolução de jovens talentos e participar do crescimento profissional deles, o que sempre foi um lema no Flamengo.

- É um ciclo que se encerra e fico na torcida para que o time conquiste o título brasileiro. E tem totais condições para isso. A pressão por resultados é muito intensa, até pela grandeza do clube, mas em ano eleitoral isso se aflora ainda mais. Que esse momento político turbulento não atrapalhe na reta final.

- Tenho certeza de que deixo as portas abertas para poder, quem sabe um dia, voltar e fazer um novo trabalho. Só tenho a agradecer a toda diretoria, comissão técnica, jogadores e demais funcionários. E ao torcedor rubro-negro, que é soberano e faz a diferença.

Fonte; G1