-->

10 de novembro de 2016

Transposição: Camilo apresenta proposta para reinício de obra. Demora gera angústia

O governador Camilo Santana se reuniu na noite desa quarta-feira,  em Brasília, com o presidente do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz, e o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, para discutir alternativas para o retorno das obras da Transposição do São Francisco. Durante o encontro, realizado na sede do TCU, Camilo propôs um leilão reverso para que a obra, paralisada há cinco meses no trecho em Salgueiro (PE) e Jati (CE), fosse retomada o mais rápido possível.

“O leilão reverso é uma solução transparente e mais rápida. Uma licitação tradicional pode demorar até um ano para ser concluída e não podemos esperar tanto tempo. A transposição é a segurança e garantia de que o Ceará não entrará em colapso caso não chova na próxima quadra”, citou o governador do Ceará, que participou da reunião acompanhado do deputado federal Danilo Forte. 

Danilo destacou que, durante a reunião, o Ministério da Integração Nacional propôs a criação de um grupo de trabalho entre representantes dos Governos Estadual e Federal para avaliar as medidas que devem ser tomadas para a obra da transposição ser reiniciada. Danilo voltou a  manifestar preocupação com a demora na retomada da obra e, na noite dessa quarta-feira, voltou a expor a angústia que os cearenses vivem com a falta de água.

A forma de retomada da obra ainda está em análise mais aprofundada pelos técnicos do Tribunal de Contas da União. O encontro dessa quarta-feira foi definido na noite da última terça-feira, durante reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, em Brasília. 

O primeiro encontro contou com a presença dos senadores Tasso Jereissati (PDDB) e Eunício Oliveira (PMDB), mas os dois parlamentares não acompanham a reunião dessa quarta-feira com o presidente do TCU e o Ministro da Integração Nacional.

No Ceará, o Governo do Estado já utilizou a metodologia em algumas oportunidades: em março de 2015, em leilão realizado na Assembleia Legislativa, pelo menos R$ 4,4 milhões foram economizados durante a contratação de sistemas simplificados de abastecimento de água no Ceará. Quatro meses depois, em leilão reverso realizado em Quixeramobim, foram economizados mais de R$ 3 milhões para a construção de adutoras nos municípios de Quixeramobim, Independência, Ibicuitinga e Arneiroz. Em 2016, esta modalidade de contratação resultou na economia de cerca de 16% no valor final das obras de reparo na Barragem Jaburu I, numa disputa que não ultrapassou os 25 minutos.

“Temos, em nosso estado, o exemplo de que o leilão reverso funciona. Espero que o TCU, juntamente com o Ministério da Integração Nacional, decida por ele ou qualquer outro método que retome a obra imediatamente. Investimos, apenas em Fortaleza e Região Metropolitana, mais de R$ 70 milhões com recursos do Estado para evitar o desabastecimento”, disse Camilo Santana.

Leilão Reverso 

O “leilão reverso”, ao contrário do leilão comum – quando algo é vendido pelo maior lance – destina-se a compras e contratação de serviços, e ganha quem oferecer o menor preço.

Com informações da assessoria de imprensa do Governo do Estado