-->

16 de julho de 2019

Denunciado por assédio a pacientes, José Hilson é proibido de exercer a medicina por seis meses

Por Redação, 15:32 / 16 de Julho de 2019 ATUALIZADO ÀS 16:22
A decisão partiu do Conselho Regional de Medicina do Ceará, enquanto o prefeito de Uruburetama é julgado
Conselho de Medicina decide suspender a atuação de médico e prefeito de Uruburetama por, pelo menos, seis meses
Kílvia Muniz

 O Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) decidiu, em reunião realizada na noite desta segunda-feira (15), pela interdição cautelar do prefeito de Uruburetama e médico José Hilson de Paiva. Isso significa que ele não poderá exercer a medicina por seis meses, podendo a decisão ser prorrogada por outros seis meses, caso não haja julgamento durante o período. 

José Hilson foi  denunciado por abuso sexual a pacientes. Alguns dos atos, inclusive, foram gravados pelo próprio prefeito, durante consultas nas cidades de Uruburetama e Cruz. Pelo menos 17 mulheres foram assediadas. 

Segundo a decisão do Cremec, divulgada em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira, o informe já foi encaminhado ao Diário Oficial da União e uma equipe do conselho foi à Uruburetama para notificar o médico. Ele não foi encontrado para ser notificado, mas uma pessoa que estava na casa de José Hilson recebeu o documento, o que já vale como registro de entrega. Também foram avisados a Promotoria Pública da cidade, bem como a Secretaria de Saúde. 

O médico ainda tem direito a defesa junto ao Cremec e um conselheiro foi nomeado para buscar provas do crime, processo que demora, em média, dois anos. A ação pode cassar definitivamente o direito do médico a continuar exercendo a profissão. 

Denúncias

O Sistema Verdes Mares teve acesso a 63 vídeos, feitos entre 2009 e 2012 com, pelo menos, 23 mulheres, além de dezenas de fotos de partes íntimas de pacientes tiradas pelo ginecologista durante exames em Uruburetama e Cruz. 

Dessas, pelo menos 17 foram claramente abusadas. A reportagem ouviu seis vítimas nas duas cidades e teve acesso a relatos de Boletins de Ocorrência. O médico atendia as vítimas sem a especialidade em ginecologia comprovada.

Em 46 gravações, José Hilson realiza atendimentos invasivos e com clara conotação sexual. Um dos vídeos mostra, inclusive, imagens em VHS, o que deixa claro o quanto a prática era antiga. Em muitos casos, os abusos aconteciam sem que a paciente sequer percebesse a violência.

Afastamento

Na manhã desta terça-feira (16), o vice-prefeito de Uruburetama, Artur Wagner Vasconcelos Nery, assumiu o cargo em ato na Câmara dos vereadores. 

Na noite desta segunda-feira (15), os nove vereadores do município aprovaram, por unanimidade, pelo afastamento de José Hilson do cargo na gestão municipal por, pelo menos, 90 dias, até que as investigações sejam iniciadas. 

Red; DN

Blog; Erivando Lima