-->

7 de novembro de 2016

Professora escreve resposta espetacular para declaração infeliz de Ministro da Educação

Declaração do Ministro da Educação do Governo Temer:
"Eles (os professores) têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado"... 

Texto de autoria de Mari Fernandes--- professora do Estado de São Paulo:

Caro Senhor Ministro e burocratas do MEC:

O que leva nosso país à falência, não são nossos 45 dias de férias!

O que fale o Brasil são as férias dos políticos, os recessos brancos e o 14º salário que abocanham, sem descontar imposto de renda!

Aposentadoria ESPECIAL, quem tem são vocês políticos, que trabalham alguns anos em Brasília e incorporam os salários.

Nossa aposentadoria.... Vem depois de 25 anos de MUITO trabalho, 60 horas por semana, se queremos dar uma vida digna aos nossos filhos! E se não for funcionário público, o professor aposenta com no máximo quatro mil e pouco, e diga-se de passagem, mal dá para o remédio porque depois de 25 anos trabalhando 60 horas,com certeza estaremos todos BEM debilitados!

Nosso descanso pedagógico, não é nada comparado aos quatro dias que senadores e deputados NÃO trabalham. Em nosso descanso pedagógico, corrigimos provas, redações, projetos, elaboramos provas. Ah! Na maioria das vezes, imprimimos as provas em casa naquela impressora que compramos dividida em 10 vezes em nosso cartão de crédito! Ao contrário dos políticos, não temos gráficas pagas com o dinheiro do povo. 

Não temos dias livres para participar de festinhas de São João em nossos estados, aliás, vamos a festas de São João sim, mas aquelas em que fazemos rifas em nossas escolas para proporcionar um pouco de alegria as comunidades onde atuamos!

Piso nacional? Bem isso é privilégio dos políticos, deuses do Olimpo, que decidem quando vai aumentar os próprios salários e quanto vão ganhar!

O lanchinho de GRAÇA? Deixe-me contar uma novidade... Talvez os Senhores, com toda sua sabedoria, talvez não saibam... Muitos de vocês nunca pisaram em uma sala de aula, professores fazem vaquinha para comprar até o café que tomam nas escolas!

Quanto as regalias, bem fico meio sem graça de expor a vida de milionários que levamos. Nossas regalias se restringem a: levantar 5 horas da manhã, trabalhar até às 11 da noite.... Sim muitos de nós trabalhamos três turnos! 

O terceiro turno, trabalhamos para pagar a gasolina que os políticos usam, a casa onde moram, as passagens de avião, a gráfica que utilizam, os correios para enviar cartão de aniversário para seus eleitores, o colégio caro que os filhos frequentam na Europa, o carro importado que dirigem, as roupas de grife que usam e os lanchinhos que comem, que ao contrário do nosso, custa, por mês, a faculdade de uma vida inteira de nossos filhos.

Não senhor Ministro e senhores burocratas comissionados, não se preocupem! Os professores não levarão este país a falência, sabe por quê? Porque  se depender da consciência política de nossos representantes, ele já está falido. Sim, esta falência atribuímos a todos os deputados, senadores, prefeitos e governadores que fazem da política uma carreira e não sabem que não existe dinheiro público, existe dinheiro do povo!
 Vamos compartilhar☝ quem sabe assim chegue na mídia aberta...

São os benefícios que os professores tem que está acabando com o País ou são as regalias e os salários exorbitantes dos políticos alto escalão que agravam a crise, senhor Ministro?


Governo cancela 469 mil cadastros do Bolsa Família e bloqueia 667 mil

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário encontrou irregularidades em 1,136 milhão de benefícios do Bolsa Família. Destes, 469 mil foram cancelados e 667 mil, bloqueados. No caso dos bloqueios, os usuários têm até três meses para comprovar que cumprem os requisitos do programa de distribuição de renda e podem voltar a receber o benefício. A pasta também convocou 1,4 milhão de famílias para fazer atualização cadastral em janeiro de 2017.

Considerando o número absoluto de cancelamentos, a lista inclui metrópoles populosas, como São Paulo (28.664 cancelamentos), Rio de Janeiro (11.887), Salvador (6.389), Fortaleza (5.383), Manaus (3.666), Brasília (3.606) e Recife (3.378).

Os municípios com maior número proporcional de cancelamentos - ou seja, em relação à quantidade de beneficiários - foram Treviso (SC), com 25,93%; Picada Café (RS), com 23%; Vargem Bonita (SC), com 18,89%; Itaipulândia (PR), com 16,62%; Muçum (RS), com 16,42%; Santa Ernestina (SP), com 16,35%; Jumirim (SP), com 15,87%; Presidente Lucena (RS), com 15,38%; Cocal do Sul (SC), com 15,33% e Nova Erechim (SC), com 15,28%.

Os dados são resultado de um pente-fino no Bolsa Família iniciado em junho, que envolveu diversas bases de dados nacionais.

Os cancelamentos já começam a valer em novembro e terão impacto de R$ 1,024 bilhão na folha de pagamento do Bolsa Família. No caso dos bloqueios, o governo espera uma economia de R$ 1,428 bilhão, caso as irregularidades sejam confirmadas.

Segundo o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, os recursos economizados com o fim de benefícios indevidos serão aplicados na própria área social. Parte desse dinheiro contribuirá, inclusive, para o ingresso de novos usuários no Bolsa Família.

“Não houve, em nenhum momento, redução dos programas sociais. Não há nenhum direcionamento do governo para reduzir ou acabar com eles. Em junho, inclusive, nós reajustamos o Bolsa Família em 12,5%. O Orçamento de 2017 para o programa é superior ao de 2016. O reajuste deste ano foi acima da inflação e pode ser que tenha novamente [reajuste] no ano que vem”, disse o ministro.

Cruzamento de dados

Para realizar o pente-fino, o governo cruzou informações do Cadastro Único para Programas Sociais, que contêm os inscritos no Bolsa Família, com dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Sistema de Controle de Óbitos (Sisobi), Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape) e Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ).

Além disso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Tribunal de Contas da União compararam a base de dados do Bolsa Família com informações sobre 114 mil doadores de campanha para candidatos às eleições de 2016, o que levou ao bloqueio de 13 mil benefícios.

De acordo com o secretário nacional de Renda de Cidadania, Tiago Falcão, quando o benefício é bloqueado, o pagamento continua sendo feito, mas o dinheiro não pode ser sacado. “Se for resolvido o problema [que causou o bloqueio], as pessoas sacam de forma retroativa”, informou. Os  beneficiários nessa situação devem procurar as instâncias municipais responsáveis pelo Cadastro Único.

Renda acima da declarada

Os cancelamentos e bloqueios ocorreram porque o governo identificou que os beneficiários do Bolsa Família atingidos pela medida tinham renda acima da declarada oficialmente. A exceção são os 13 mil bloqueios a partir dos dados do TSE e TCU, motivados pela revelação de que os beneficiários figuravam como doadores de campanha com valores acima do permitido.

Nos casos em renda per capita mensal dos beneficiários superava R$ 440, houve cancelamento. Já as famílias com renda mensal per capita entre R$ 170 e R$ 440 tiveram o benefício bloqueado. E a chamada para atualização cadastral destina-se aos beneficiários com renda abaixo de R$ 170, mas em cujas informações prestadas foi encontrada alguma inconsistência.

Pente-fino será mensal

O governo anunciou que, a partir de agora, o pente-fino nos benefícios do Bolsa Família ocorrerá todos os meses. Outra novidade é que a análise de possíveis irregularidades será prévia à concessão de novos benefícios. Segundo Osmar Terra, ainda este mês, o governo deve anunciar ainda este mês um programa de inclusão produtiva, destinado a auxiliar a inclusão da população assistida pelo Bolsa Família na atividade econômica.

O Bolsa Família é voltado para famílias extremamente pobres (renda per capita mensal até R$ 85) e pobres (renda per capita entre R$ 85,01 e R$ 170). Ao entrarem no programa, elas recebem o auxílio financeiro e, como contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação. Atualmente, cerca de 13,9 milhões de famílias recebem o benefício concedido pelo governo federal.

Diário do Nordeste

Sequestro termina em acidente e troca de tiros em Maracanaú

Um roubo com restrição da liberdade da vítima (sequestro-relâmpago), na manhã desta segunda-feira (7), em Maracanaú, terminou em acidente, tiroteio e com quatro suspeitos detidos; um deles baleado. De acordo com o tenente-coronel Océlio Alves, comandante da Área Integrada de Segurança (AIS) 8, o estado de saúde do homem ferido na ação é grave.

Conforme o oficial, a vítima seguia em um veículo, modelo Fiat Uno Mille, pelas ruas de Maracanaú quando foi abordada  pela quadrilha. Os homens aplicaram “coronhadas” na cabeça do dono do carro. Mesmo depois de entregar o dinheiro aos assaltantes, a vítima disse em depoimento que os suspeitos queriam que ela realizasse saques em um estabelecimentos bancários.

Sob ameaça de uma arma de fogo apontada para a cabeça a vítima foi obrigada pelos agressores a seguir pela Avenida Almir Dutra, no bairro Luzardo Viana, em Maracanaú. Durante o trajeto, se depararam com uma patrulha da Polícia Militar. O veículo da vítima, onde os suspeitos estavam, colidiu frontalmente com a viatura. 

Após o acidente, os três adultos e um adolescente de 17 anos fugiram. Houve perseguição policial e tiroteio. Após as buscas em um matagal, a patrulha da 1ª Cia do 14º BPM, composta pelos sargentos Glaydson, Queiroz e  Marques fez o cerco e conseguiu capturar Rodrigo Carlos de Lima, 21 anos; Jesus Nazareno Alves Bezerra, 19; Lucivando Vieira de Queiroz, 21; e um adolescente de 17 anos. 

Segundo a Polícia, Lucivando Vieira foi atingido durante o tiroteio e levado para o Hospital de Maracanaú. O estado de saúde dele é considerado grave. 

Diário do Nordeste

MPF pede anulação de redações após PF cogitar hipótese de vazamento

Em face do suposto vazamento do tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) avaliação, antes do início do teste, o Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) ingressou com ação na Justiça Federal pedindo que sejam anuladas as correções de todos os textos escritos pelos candidatos.

No dia da prova, a Polícia Federal prendeu, no Ceará, um candidato que acessou o local onde faria o certame portando um rascunho pré-produzido da redação dentro do bolso, além de estar equipado com ponto eletrônico. O texto encontrado tinha exatamente o mesmo tema proposto pela prova, abordando propostas para combater a intolerância religiosa no país.

A delegada da Polícia Federal, Fernanda Coutinho, confirmou que o candidato teve acesso ao tema da redação antes do início das provas.

Tema

Além disso, o próprio Ministério da Educação (MEC) é acusado de ter publicado o tema da redação com um ano de antecedência, embora o Inep negue. 

A ação pedindo a nulidade das redações partiu do procurador da República Oscar Costa Filho. Ele pede ainda a concessão de liminar para suspender os efeitos da validade jurídica da prova de Redação até o julgamento do mérito. Dessa forma, evitaria-se transtorno aos estudantes caso os resultados fossem divulgados antes do julgamento da ação.

O Ministério Público, por meio de nota, afirma que ainda aguarda o julgamento de recurso contra a decisão da Justiça Federal, que não acatou pedidos do órgão em ação movida no dia 2 de novembro. Na ocasião, o MPF-CE requeria o adiamento das provas do Enem para todos os candidatos, tendo em vista que mais de 190 mil estudantes farão o Exame apenas em 3 e 4 de dezembro, em função da ocupação de prédios que serviriam como locais de prova. O argumento do MPF dizia respeito justamente à possível falta de isonomia entre os candidatos por conta das provas de redação, que seriam de temas diferentes, conforme a data de aplicação do teste.

Diário do Nordeste

Castanhão está com apenas 5,69% de sua capacidade

Já o Orós perde o dobro do volume por mês e Eixão das Águas está em cota próxima à mínima. Desde que passou a mandar água para o Castanhão, para que possa a manter fluxo para Fortaleza, o açude está perdendo por mês o dobro do que reduzia nos meses anteriores.

Hoje com 359 milhões de metros cúbicos (18,5% da capacidade), a previsão é de que até o final de dezembro o reservatório esteja próximo do pior volume em 12 anos, quando em 14 de janeiro de 2004 esteve com 306 milhões de metros cúbicos(15,73%).

Enquanto isso, o Castanhão, com 381,4 milhões de metros cúbicos (5,69%) está com cota de 73,3 metros, sendo a cota mínima para operação no Eixão das Águas de 71 metros. Ou seja, limite para abastecimento em Fortaleza e Região Metropolitana está nos 2,3 metros acima de água passando pelo canal.

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) reafirma a preocupação com os índices. Se não houver recarga logo no início de 2017, caminha-se para a certeza do colapso.

Tem pelo menos três anos, dos cinco anos de seca, que os reservatórios do Ceará estão em situação predominantemente crítica. O Castanhão deixou de ser o gigante e as atenções ao Orós são a última contagem regressiva para o colapso de abastecimento.


Antes de mandar água para o Castanhão, o Orós perdia por mês um volume de 20 milhões de metros cúbicos. De agosto para setembro, saiu de 445 milhões de metros cúbicos para 423,43 milhões - de setembro para outubro, a perda passa para 383,53, praticamente o dobro da redução que ocorria nos meses anteriores.

Cerâmicas buscam ecoeficiência no CE

Russas. A história da indústria de cerâmica vermelha na região do Baixo Jaguaribe deve ganhar um novo capítulo ainda neste mês de novembro. Isso porque será assinado o Pacto da Produção Sustentável, entre os empresários ceramistas da região, Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema) e Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace).

Processo

Essa ação faz parte do projeto "Implementação da Eficiência Energética para as Indústrias Cerâmicas do Baixo Jaguaribe", que é uma parceria do Ministério do Meio Ambiente (MMA), com o financiamento da Caixa Econômica Federal (CEF), e a execução da Sema, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento Sustentável (Codes), Semace e também do Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

Desde 2013 o projeto vem sendo executado na região, atendendo os municípios de Alto Santo, Aracati, Jaguaruana, Limoeiro do Norte, Quixeré, Russas e Tabuleiro do Norte. Ao todo, 120 empresários do setor receberam capacitação e treinamento, com o objetivo de que eles desenvolvam e implantem em suas fábricas um modelo sustentável de atuação no âmbito da eficiência energética, promovendo a utilização racional dos recursos naturais necessários para operacionalização dessas fábricas, com implementação de práticas ambientalmente corretas, visando harmonizar a atividade com o meio ambiente.

Desafios

Um dos grandes desafios para o setor é o melhor uso de materiais alternativos para a queima nos fornos, como poda a de cajueiro, madeira de construção e outros materiais para combustão. Durante o projeto, eles aprenderam de que forma podem usar melhor esses materiais, podendo chegar a economizar 30% do seu uso. O ganho ambiental do uso eficiente é a redução nas emissões de gases que causam o efeito estuda.

Para o empresário ceramista de Russas, Célio Gomes, o aprendizado, durante os três anos de execução do projeto, lançou um novo olhar para o setor. "Quem realmente participou e quis aprender, absorveu muita coisa para melhorar os processos, tanto na fabricação, secagem e queima", conta.

O titular da Sema, Artur Bruno, destacou a importância do projeto para o setor, com o objetivo de tornar essas indústrias autossuficientes. Além disso, ele destacou uma segunda ação integrante do projeto, que é o desenvolvimento de práticas de manejo florestal sustentável, também no Baixo Jaguaribe. Nesta ação, os agricultores de 17 assentamentos da região obterão as condições de produzir e fornecer a lenha de forma sustentável e legalizada para as empresas ceramistas. As capacitações, de acordo com ele, deverão iniciar em janeiro do ano que vem.

Menos emissões

"Com essas ações, vamos ter um projeto de diminuição de lenha junto às cerâmicas com melhor eficiência energética, um projeto de reflorestamento nesses assentamentos e, dessa forma, estamos contribuindo para que o Estado do Ceará possa dar a sua parcela de contribuição na diminuição dos gases de efeito estufa, já que o País tem o compromisso internacional para 2030, com redução de 43%", ressaltou. A Associação dos Fabricantes de Telhas do Vale do Jaguaribe (Asterussas) e o Sindicato das Indústrias de Cerâmica do Ceará (Sindcerâmica) foram apoiadores do projeto.

Retorno

Para o presidente do Sindcerâmica, Marcelo Tavares, apesar de o setor estar enfrentando uma crise, em decorrência do momento ruim pelo que passa a construção civil, esse projeto trará retorno futuros. "Os empresários vão se aperfeiçoando, vão vendo novas formas de produzir, com menos custos, de forma mais harmoniosa com o meio ambiente", destacou.

Ricardo Torres - RT NEWS

Vírus zika é transmitido de homens para macacos, segundo pesquisadores cearenses e paulistas

Os cearenses tratam os animais domésticos e até mesmo silvestres como membros da família. Os cães e gatos ainda são os mais encontrados nas residências, mas há quem prefira os exóticos como os saguis, os famosos 'soins'. O problema é que muitos desses bichos transmitem doenças. Em abril deste ano, o Diário do Nordeste divulgou uma pesquisa inédita que revelou a detecção do vírus zika (ZIKV) em macacos do Ceará.

Neste mês, a novidade é que o estudo elaborado por especialistas do Instituto Pasteur, em São Paulo, e da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa) segue avançando em 25 municípios. O texto inicial do trabalho foi divulgado no portal científico Biorxv.

A preocupação se situa, agora, na forma de transmissão, pois ainda não foi possível confirmar como se deu a contaminação dos primatas, segundo a pesquisadora científica do Instituto Pasteur, Silvana Regina Favoretto, doutora em ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (USP).

"Considerando que as coletas foram realizadas no período de epidemia de zika no Ceará e que estes animais foram capturados sempre em contato próximo com a população humana, a hipótese mais provável é que a fonte de infecção foram os próprios humanos, tendo o mosquito como vetor", avalia Silvana.

De acordo com a pesquisadora, que vem mensalmente ao Ceará, os moradores são normalmente receptivos, permitindo a entrada em suas propriedades para colocação das armadilhas e realização das capturas. Durante o processo de visita nas residências, a comunidade colabora com a pesquisa respondendo questionários em relação à presença de animais silvestres e conhecimentos a respeito da raiva. A previsão inicial é que o encerramento do estudo ocorra em abril de 2017. Segundo os pesquisadores paulistas, a Sesa é parceira deste projeto de pesquisa e tem fornecido total apoio à realização. O objetivo da produção científica é discutir a epidemiologia do vírus da raiva e do zika nas espécies animais em estudo a fim de fornecer informações para um melhor entendimento das doenças.

Análise

Os primeiros macacos encontrados com vírus foram capturados nas regiões de Tabuleiro do Norte, Quixeré, Limoeiro do Norte, São Benedito e Guaraciaba do Norte. O estudo inédito coletou amostras de sangue e saliva de saguis (Callithrix jacchus) e macacos-prego (Sapajus libidinosus). Os testes iniciais tiveram início em julho com conclusão em novembro de 2015, nas áreas de maior índice de epidemia do Ceará.

Os primatas foram marcados com microchips e lançados de volta aos seus habitats originais. Na análise preliminar do material, houve registro de 29% de positividade.

Para validar o estudo, os cientistas sequenciaram e amplificaram a amostra coletada dos macacos. O diagnóstico apontou que os bichos tinham ZIKV com 100% de semelhança com outras ZIKV da América do Sul. Conforme o estudo, "permanece como uma advertência para a possibilidade de que eles poderiam atuar como reservatórios, semelhante ao ciclo silvestre da febre amarela no Brasil".

Espécies

A descoberta dos primatas com o vírus preocupa os órgãos de proteção aos animais. Para o coordenador de fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Ceará, Miller Holanda, a situação se complica pelo fato de a população residente em áreas de vegetação e urbana criar os primatas como animais domésticos. "Muita gente pega esses bichos ainda filhotes. Orientamos, mas não respeitam a legislação", declara. Outro fator visto com temor é a questão do tráfico que traz primatas de outras regiões para o Ceará.

De acordo com levantamento do Ibama, entre janeiro e outubro deste ano, o órgão apreendeu 65 animais que viviam em residências, sendo 42 saguis e 23 macacos-prego. O número foi o mesmo em todo o ano passado, com 48 soins e 17 macacos-prego. Para Miller, apesar de a quantidade se manter, a situação não é a correta. "Anualmente, passam 5 mil animais no Centro de Triagem do Ibama. Desse total, pelo menos 10% são de primatas. O ideal seria zerar".

Ainda segundo o gestor, nos últimos dois anos o Estado perdeu sete criadouros de animais devido ao descumprimentos de normas de saúde pública. Atualmente, apenas 13 criadouros e mantenedores possuem licenças válidas para cuidar de macacos. "Os ambientes que funcionam hoje são de conservacionistas que utilizam os locais para contemplação dos bichos. São pessoas com bons recursos financeiros que o Ibama tem ciência dos cuidados".

No Estado, segundo o Ibama, os primatas vivem em regiões com mata atlântica remanescente e áreas de caatingas com maior incidência de população como em Serra Grande, Serra das Almas e Floresta do Araripe.
Fonte: Ibama/Ministério do Meio Ambiente

Diário do Nordeste

Mais um crime de morte é registrado em Limoeiro do Norte

Homem foi assassinado a tiros na noite deste domingo, 06, no município de Limoeiro do Norte. O crime ocorre dois dias após a sexta-feira de terror na cidade, onde intensas trocas de tiros entre Polícia e bandidos, nas ruas do centro, que vitimou um PM e 7 bandidos, e colocou em pânico a população limoeirense.

A vítima, Ednar Alexandre de Oliveira, 30 anos de idade, natural de Limoeiro do Norte, deu entrada no hospital local, por volta das 23h, com ferimentos a bala, onde chegou a receber atendimento médico, mas não resistiu aos ferimentos e veio a falecer.

Não há ainda informações sobre a autoria do crime, que está sob investigação policial.

Com Informações do 1ºBPM

Homem é baleado em tentativa de assalto no Jardim de São José em Russas

Uma tentativa de assalto foi registrada na noite do último sábado, 05, na localidade do Jardim de São José, zona rural de Russas. Uma pessoa ficou ferida.

A polícia foi acionada para uma ocorrência, a altura do KM 172 da BR-116, por volta das 19h40, onde a vítima, um homem de 40 anos, informou ter sido surpreendido por dois indivíduos, em uma moto de características não anotadas, os quais tentaram parar a vítima, que trafegava em um veículo Gol.

A vítima não parou o veiculo e tentou fugir da ação dos suspeitos que atiraram contra o carro, sendo o homem atingido com um tiro nas costas, conseguindo ainda chegar ao hospital de Russas, onde foi medicado e passa bem. 

Os suspeitos evadiram-se em seguida em direção ao projeto de Irrigação Tabuleiro de Russas, por onde não mais foram vistos.

Com Informações do 1ºBPM