-->

29 de janeiro de 2018

Polícia indicia seis detentos pela chacina na Cadeia de Pública de Itapajé



Para evitar novo confronto, a Sejus ainda transferiu 44 presos para unidades prisionais da RMF

   A Polícia Civil indiciou seis presos por homicídio qualificado após a chacina na Cadeia Pública de Itapajé, ocorrida na manhã desta segunda-feira (29). Eles já possuem uma vasta ficha criminal, segundo detalhes repassados pela Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus).

Os flagranteados foram identificados como Alex Pinto Oliveira Rodrigues (24), com passagens por contravenção penal, roubo, dano, direção perigosa, crimes de trânsito e porte ilegal de arma de fogo; Antônio Jonatan de Sousa Rodrigues (22), com passagem por roubo e corrupção de menor; Artur Vaz Ferreira (26), com passagens por furto e porte ilegal de arma de fogo; Francisco das Chagas de Sousa (24), conhecido por "Chicó" e com passagens por lesão corporal dolosa, porte e posse ilegal de arma de fogo; Francisco Idson Lima de Sales (19), com passagens por tentativa de homicídio e roubo; e William Alves do Nascimento (20), conhecido por "William do Cavalo" ou "Batata", com passagens por crime de trânsito e homicídio consumado.

Além dos responsáveis pelo crime que deixou homicídio qualificado, a Sejus anunciou a transferência de 44 internos para unidades da Região Metropolitana de Fortaleza. Conforme o delegado da cidade, André Firmino, a unidade contava com mais de 80 presos, com membros de facções criminosas, como Comando Vermelho (CV) e Primeiro Comando da Capital (PCC), separados em celas diferentes.

Crime

O confronto se deu durante o banho de sol, que começa, diariamente, às 8h. Neste momento, todos os detentos acabam ficando no mesmo espaço e, conforme ainda o delegado André Firmino, somente um agente penitenciário fazia a segurança da unidade prisional.

“É o momento mais delicado o banho de sol deles, porque ficam todos juntos no pátio e é difícil segurar”, comenta Firmino.

Armas

Uma vistoria havia sido realizada poucos dias após o Natal e, na ocasião, facas e celulares foram apreendidos. Já nesta segunda, logo após a chacina, foram encontrados dois revólveres, 38 munições, duas facas, drogas, além de aparelhos celulares.

Leia ainda: 

> Triplo homicídio é registrado próximo ao Anel Viário; criminosos usaram fuzis, diz Perícia
> Dez detentos de facção criminosa fogem na madrugada da cadeia de Senador Pompeu
> Apenas três vítimas da Chacina das Cajazeiras possuíam antecedentes criminais

Os presos mortos foram identificados como Alex Alan de Sousa Silva (arts. 157 e 288), Caio Mendes Mesquita (art. 121), William Aguiar da Silva (art. 14), Francisco Davi de Sousa Mesquita (art. 33), Francisco Emanuel de Sousa Araújo (art. 33), Francisco Helder Mendes Miranda (art. 33), Francisco Mateus da Costa Mendes (arts. 16 e 33), Manuel da Silva Viana (art. 33), Carlos Bruno Lopes Silva (art. 33) e Francisco Elenilson de Sousa Braga (art. 121). Alguns internos foram feridos, tiveram atendimento no hospital local e voltaram à unidade.

Outros três internos tiveram ferimentos mais graves e precisaram ser transferidos para outra cidade. O confronto foi controlado por agentes penitenciários do Grupo de Operações Regionais e policiais do município.

As investigações permanecem no intuito de descobrir a motivação das mortes. As armas foram levadas para realização de exames periciais na sede da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). 
Internos são transferidos da Cadeia de Itapajé; veja 

Red; DN