-->

16 de setembro de 2015

Grupo armado invade e ateia fogo em ônibus na avenida Francisco Sá

Um grupo de homens armados invadiu um ônibus da linha 114 - Nova Assunção/Francisco Sá - e ateou fogo no veículo, na noite desta terça-feira, 15, na avenida Francisco Sá, próximo à comunidade do Gueto, localizada na Barra do Ceará. De acordo com a sargento da 5ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Comunitária (BPCom), Nívea Sá, cerca de 15 suspeitos armados subiram no transporte coletivo e mandaram os ocupantes descerem.

Segundo a policial que está no local da ocorrência, o grupo avisou que a ação fazia parte de um protesto, mas não especificou do que se tratava. Em seguida, eles fugiram em direção à comunidade do Gueto. O trocador do ônibus sofreu uma pequena luxação na mão, quando tentou pegar os documentos no veículo incendiado.

O cabo da Força Tática de Apoio (FTA), Saraiva de Castro, informou à reportagem do O POVOque o ato criminoso seria em represália à morte de um adolescente na semana passada, após troca de tiros com a Polícia. 

"A viatura entrou na semana passada para fazer abordagens de praxe e foi recebida a bala. A Polícia revidou. Um menor que atirou contra a Polícia foi atingido no confronto e veio a falecer na Unidade de Pronto Atendimento (UPA)", disse o militar.

Ainda conforme o cabo, o grupo que invadiu o ônibus nesta terça simulou um assalto antes de atear fogo. Tinha dez pessoas no ônibus no momento do ataque. O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas. 

De acordo com o coronel Francisco Souto, comandante do Policiamento da Capital (CPC), as chamas foram debeladas com o extintor do próprio ônibus por populares. 

Muitas viaturas estão no local, entre elas, equipes do Ronda do Quarteirão, do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e da FTA. Neste momento, os policiais estão realizando uma ação de buscas aos suspeitos dentro da comunidade do Gueto.

Ato semelhante
No dia 26 de agosto, um grupo de dez a 20 pessoas bloqueou a avenida Francisco Sá e ateou fogo em pneus, nas proximidades da comunidade do Gueto. Na ocasião, a Polícia não soube informar o motivo da ação.

O POVO Online