-->

23 de setembro de 2015

Presos queimam roupas e quebram câmeras em motim no 6° Distrito Policial


Cerca de 20 detentos realizaram um motim no6° Distrito Policial (DP), no bairro Messejana, na manhã desta quarta-feira, 23, em Fortaleza. Os presos quebraram câmeras de segurança equeimaram roupas, mas a ação foi controlada por volta das 9 horas, conforme a Polícia Civil. No momento da ação, apenas um agente estava de plantão. 

Segundo o inspetor Paulo Silva, um total de 22 presos estão detidos na unidade e teriam se rebelado devido à superlotação, por volta das 7 horas. “Queimaram roupas, quebraram as câmeras, mas, ainda bem, a ação foi controlada pela Unidade Tático Operacional (UTO) e ninguém fugiu”, detalhou. Além do UTO, o Serviço de atendimento Móvel (Samu) foi acionado, mas não houve registro de feridos. 

De acordo com um policial que preferiu não se identificar, a média da unidade é de 30 presos, então durante o motim desta manhã a situação estava “até boa”. O diretor administrativo do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol), Francisco Lucas, criticou a superlotação da unidade e a portaria que limita o ingresso de novos detentos no sistema penitenciário. 

“Hoje teve esse motim no 6° DP, na semana passada foram rebeliões no 2° DP e até aquele incêndio na Delegacia Metroplitana de Maranguape. Não dá pra trabalhar dessa forma. Os policiais não podem estar na rua e ficam inseguros dentro das delegacias, com essa grande quantidade de presos”, completou Francisco. 

No domingo, 20, detentos do 34° Distrito Policial, no Centro, inciaram um motim na unidade, batendo e ameaçando derrubar as grades, por conta da falta d’água. Durante o motim na Delegacia de Maranguape, na segunda-feira, 21, 40 motocicletas apreendidas foram queimadas. Apenas um inspetor custodiava 34 presos da unidade e impediu que eles fossem carbonizados. O prejuízo do incêndio, calculado pelo O POVO, deve custar R$ 260 mil reais aos cofres públicos. 


Na terça-feira, 22, os detentos do 12° DP, no Conjunto Ceará, junto com os familiares deles, protestaram contra a superlotação na unidade. A delegacia, que possui duas celas com capacidade para seis presos cada, estava com 36 presos detidos no local.

O POVO Online procurou a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que afirmou que ''o tumulto foi rapidamente contido por policiais da Unidade Tático Operacional (UTO) da Divisão Antissequestro (DAS), do 6º DP e por policiais militares''.

Em nota, a pasta disse que os presos quebraram uma das câmeras de segurança instaladas no local. ''O prédio da unidade não foi danificado e a situação já foi normalizada'', completou.

O Povo Online