-->

15 de outubro de 2014

Apreensões de drogas no Ceará é 194% maior em setembro deste ano


A apreensão de crack e maconha aumentou, no mês de setembro, no Ceará. Numa comparação com o mesmo período do ano passado, a quantidade de crack recolhida cresceu 258%, enquanto o volume de maconha apreendida subiu 239%. A apreensão de cocaína ficou inalterada. Os números são da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Levando em consideração todos os entorpecentes, o crescimento na quantidade de droga tirada de circulação em setembro foi de 194%. Ao todo, 317,11 kg foram recolhidos. A média foi de 10,5 kg apreendidos por dia. Em 2013, a Polícia havia apreendido 107,91 kg no período.

Já no intervalo entre janeiro e setembro, houve queda de 37% no volume apreensão: nos nove primeiros meses de 2013, foram recolhidos 2.876,02 kg de drogas no Ceará. Este ano, o volume foi de 1.819,19 kg.

O mês de setembro também foi considerado o menos violento com relação aos homicídios cometidos no Estado. Conforme O POVO publicou no último dia 3, os casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) caíram 22% em relação a setembro de 2013. O número de casos passou de 439 para 341.

Para o coordenador do Laboratório de Estudos da Conflitualidade e da Violência da Universidade Estadual do Ceará (Uece), professor Geovani Jacó, ainda é cedo para estabelecer uma correlação entre os números de apreensão de drogas e de homicídios. Geovani defende que, apesar de importantes, os dados de apreensão não devem ser considerados fator “explicativo e determinante” para a redução das mortes.

“A motivação das mortes é bem mais complexa que a ligação com o narcotráfico. Estamos lidando com duas coisas crônicas: tráfico e homicídios. Há uma relação direta entre os dois, mas ela não é redutível. Pelo menos por enquanto. É um dado circunstancial. Essa hipótese deve ser trabalhada e acompanhada. Somente diante de uma regularidade de aumento da apreensão e baixa dos homicídios poderíamos afirmar essa correlação de fatores que compõem a violência urbana”.

Balanço por AIS

Dentre as 18 Áreas Integradas de Segurança (AIS) nas quais o Ceará foi dividido, a AIS-5 se destacou como a área em que se apreendeu o maior volume de drogas. A área reúne bairros de Fortaleza como Montese, Parangaba, Maraponga e José Walter. Lá foram recolhidos 96,29kg de drogas no mês passado.

Já a AIS-10 teve o melhor resultado com relação às apreensões, considerando o intervalo entre janeiro e setembro. A região, que concentra municípios como Aracati, Russas, Jaguaribe e Tabuleiro do Norte, conseguiu apreender 397,13 kg de drogas.

Responsável da Polícia Militar na área, o tenente-coronel Francisco de Assis Paiva atribui o desempenho a operações realizadas em parceria com Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil. “Tivemos algumas apreensões em ações conjuntas. Isso é feito através de um trabalho de inteligência da SSPDS”, comenta.

Saiba mais

Apesar do resultado positivo de setembro, a apreensão de maconha no Ceará caiu 53%, levando em consideração o intervalo entre janeiro e setembro deste ano.

Já a apreensão de crack subiu 10%, entre janeiro e setembro. No período, o volume de cocaína apreendida cresceu 310%.

Fonte: O Povo