-->

20 de abril de 2014

Situação sobre-humana´, afirma cearense que está no Monte Everest




O montanhista cearense Rosier Alexandre, que faz parte da expedição do Monte Everest atingida por uma avalanche nesta sexta-feira, afirma que, mesmo após a tragédia, não desistiu da missão de atingir o pico da montanha mais alta do mundo. Por telefone neste sábado (19), Rosier contou que todos ficaram muito traumatizados com a avalanche e que os corpos ainda estão sendo resgatados. Três pessoas da equipedo cearense foram atingidas e morreram. Eram nepaleses e trabalhavam como sherpas, guias que vão mais à frente para dar apoio e montar acampamentos nos próximos pontos de parada.

“A princípio, vamos prosseguir, mas os três próximos dias serão decisivos porque todos os sherpas desceram a montanha para fazer o sepultamento dos seus parentes. Perdemos três pessoas. Nós vamos avaliar primeiro como vai estar o estado psicológico e físico dos demais porque quase todos participaram dos resgates. Isso foi uma situação sobre-humana", afirmou o cearense. O acidente é considerado o mais mortal da história da montanha mais alta do mundo.


O alpinista experiente iniciou o desafio de escalar a montanha mais alta do mundo, entre o Nepal e a China, no começo do mês de abril. Ele estava em um acampamento usado como base, a 5.352 metros, no meio do Everest, quando a avalanche aconteceu 500 m acima. De acordo com o montanhista, 15 corpos foram resgatados até agora. “Eu acompanhei este resgate porque foi em frente à minha barraca essa avalanche. Vi o helicóptero resgatando e vi, quando chegou, eu estava do lado. Sabe-se que tem mais pessoas desaparecidas, mas quantas ainda não sei”.

Os sherpas, que ajudam a escalada dos alpinistas, dirigiam-se para um acampamento base mais alto e alguns escaladores estrangeiros tinha se unido ao grupo para se aclimatarem com a altitude, como é habitual.

Com a subida do Everest, Rosier pretende completar o projeto sete cumes, que tem o objetivo de escalar a montanha mais alta de cada continente. Seis já foram conquistadas. A previsão inicial para chegar ao cume do Everest era o dia 20 de maio. Depois da tragédia, o alpinista afirma que para chegar ao topo será preciso superar a tragédia da avalanche. “Eu quero muito escalar o Everest, mas, quero escalar com responsabilidade, com tranquilidade. Neste momento o que a gente pode fazer é rezar, realmente, pedir força, pedir que Deus receba os que partiram e que dê consolo às famílias que estão extremamente maltratadas, sofridas”.

A temporada de escalada de primavera começou oficialmente em março, mas os primeiros alpinistas só iniciaram em abril a subir o Everest, a montanha mais alta do mundo, com 8.848 metros de altura. Em setembro de 2012, em uma das piores avalanches dos últimos anos, na montanha Manaslu, no Himalaia, 11 alpinistas morreram, entre eles oito franceses e um espanhol. Em novembro de 1995, um deslizamento no Everest deixou 26 montanhistas mortos, dos quais 12 eram japoneses e o restante nepaleses.

Fonte: G1 CE, com informações da TV Verdes Mares Postagem Irleide Fama.