-->

5 de abril de 2016

Chuvas aliviam açudes do Castanhão e Orós, mas situação é crítica

O aporte deste ano no Castanhão quase dobrou em uma semana. Na foto, o reservatório em fevereiro

Com as chuvas persistentes que banharam quase todo o Ceará, os açudes Orós e Castanhão registraram nos últimos sete dias os maiores aportes de água do Ceará. Os dois maiores reservatórios receberam 28,71 hm³ (hectômetro cúbico) de água e 20,58 hm³ no período, respectivamente. Para o Castanhão, que abastece Fortaleza e hoje está com apenas 9,74% da capacidade, o aporte deste ano, trazido pelas chuvas, passou de 22,34 hm³ para 42,93 hm³, ou seja, quase dobrou em uma semana.

O Orós foi o que apresentou maior aporte entre 28 de março e ontem, segundo o Portal Hidrológico da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh). O aporte, nos últimos sete dias, representa 31% de toda a água que entrou no açude este ano, que foi 92,57 hm³. O Orós chegou a 35,33% da capacidade total. O açude, o segundo em capacidade e hoje o primeiro em volume, é tratado como reserva em caso de colapso do Castanhão.

As precipitações beneficiaram também reservatórios menores. O Itapebussu, em Maranguape, passou de 32,8% da capacidade, em 30 de março, para 54,3%. O Gavião, em Pacatuba, que tem relação com o abastecimento de Fortaleza e Região Metropolitana, passou de 83,1% para 92,3%, no período.

Cautela

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) ainda prevê chuvas no Estado para hoje e a madrugada de amanhã. Causadas pela Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), as chuvas não mudam, no entanto, o quadro climático e ainda há maior probabilidade de precipitações abaixo da média para a quadra chuvosa.

Apesar do aporte de 98,87 hm³, as bacias hidrográficas do Ceará estão com apenas 12,77% da capacidade. O número é levemente maior que o volume apresentado no início de janeiro, quando as bacias apresentavam 11,9% da capacidade. O Castanhão teve volume total diminuído em 89,3 hm³ desde o início do ano, devido ao consumo e a evaporação.

Saiba mais 

Situação dos açudes no Ceará
Açudes monitorados: 153 
Capacidade total: 18,64 bi de m³

Volume atual: 2,38 bi de m³ — 12,77% da capacidade 
Volume total em 1º de janeiro de 2016: 11,9%

Aporte de 2016: 525,46 hm³
Aporte da última semana (de 28/03 a ontem): 98,87 hm³

Quatro açudes sangrando no Ceará: Caldeirões, Gameleira, Maranguapinho, Quandú

Já sangraram: Colina e Trici

36 açudes estão em volume morto no Ceará

24 açudes do Estado estão secos

Bacia em melhor situação: Coreaú (37,92% da capacidade total)

Bacia em pior situação: Baixo Jaguaribe (0,25% da capacidade total)

O Povo Online