-->

16 de agosto de 2014

Campos critica Dilma, Sarney e Collor em propaganda eleitoral que iria ao ar na terça


O vídeo com parte da primeira participação de Eduardo Campos no horário eleitoral gratuito, que iria ao ar na próxima terça-feira (19), foi divulgado nesta sexta (15) e está sendo amplamente divulgado pelas redes sociais, através da internet.

Em um auditório cenográfico e assistido por sua então vice, Marina Silva, e por cerca de 50 pessoas, Eduardo acusa o governo Dilma de barganhar ministérios em troca de apoio aos projetos do PT. "A presidenta Dilma criou 39 ministérios, deu um ministério para um afilhado de Sarney, outro pra um afilhado de Renan Calheiros, que é senador, outro prá lá, outro prá cá, e ela passou um bocado de tempo sem votar nada no senado, porque eles queriam mais. Isso ia pra quanto? 80 ministérios, 90, 100?", indagou.

Eduardo também convocou a população a uma participação mais efetiva na hora de cobrar os governantes do país. "O povo foi pra rua em junho. Encheu aquela Esplanada de estudante, desempregado ali da pariferia de Brasília, funcionário público. Em 15 dias, sem que o povo desse nenhum ministério, nenhum cargo, nada, porque o povo não tinha nada pra dar, eles (políticos) votaram mais que em 1 ano, demandando tudo o que eles queriam. A gente tem que botar a sociedade pra cumprir o seu papel", disse.

O então candidato também criticou velhos caciques da política nacional, como os ex-presidentes Fernando Collor e José Sarney, dizendo que eles não estariam ao lado de seu governo, caso fosse eleito. "Avisa aí ao Sarney, ao Renan (Calheiros) e ao Collor que nós vamos chegar e que eles vão pra oposição. Conosco eles não vão trabalhar", afirmou.



A coligação "Unidos pelo Brasil" ainda não definiu se efetiva o nome de Marina Silva ao posto de candidata à presidência da república, indicando um novo vice, ou se escolherá um outro substituto para o lugar deixado por Campos.

Diário do Nordeste