-->

10 de junho de 2016

Polícia procura mães de bebês mortos no Maciço de Baturité


As investigações sobre os três recém-nascidos encontrados mortos em lixões, entre os dias 3 e 5 de junho, na Região do Maciço de Baturité estão avançando, conforme a Polícia Civil. Na Cidade de Baturité, as apurações chegaram a uma mulher que está sendo procurada. Em Redenção, o motorista do caminhão de coleta que encontrou a criança foi ouvido e a rota feita por ele naquele dia foi mapeada pelos investigadores.

A suspeita sobre uma mulher que pode ter envolvimento com o caso dos dois bebês deixados em Baturité surgiu depois de uma denúncia anônima. Uma pessoa presenciou a suspeita procurando medicamentos em uma farmácia, para dar à filha que tinha acabado de fazer um aborto. "O atendente da farmácia não vendeu e orientou que ela procurasse um hospital, mas a mulher disse que a filha não iria de maneira alguma", afirmou o delegado Regional de Baturité, Ricardo Pinheiro.

Na última quarta-feira, os policiais foram até a farmácia e tiveram acesso às imagens do circuito interno que mostram a suspeita. Ninguém que trabalha no estabelecimento a reconheceu. "Não sabemos quem ela é, mas estamos em campo para descobrir", declarou Pinheiro.

O delegado disse que as investigações estão no início e nada pode ser afirmado com certeza, por enquanto. Ele solicitou exames de DNA dos dois recém-nascidos encontrados em Baturité, para saber se eles eram gêmeos ou se mais de uma mulher abandonou os filhos.

"Ainda precisamos esclarecer se é uma ou se são duas mães. Uma das crianças estava em estado de putrefação mais avançado. Os exames da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) vão atestar se uma morreu antes, ou se a decomposição foi acelerada pela ação de animais que tiveram contado com os recém-nascidos, em meio ao lixo", disse Pinheiro.

Na tarde da última quarta-feira, o investigador esteve reunido com o secretário de Saúde do Município. "Vamos solicitar mediante ofício que seja fornecida uma lista da Secretaria, na qual constem todas as mulheres que fizeram pré-natal recentemente. A partir daí poderemos ter novas suspeitas", explicou.

Redenção

Um terceiro bebê foi encontrado morto no lixão da cidade de Redenção, no último domingo (5). A delegada Arlete Silveira, responsável pela Delegacia Municipal, disse que também está fazendo levantamentos junto aos órgãos de Saúde para descobrir as possíveis parturientes de Redenção e Acarape, nos últimos dias. Ela cogita a possibilidade de pedir estes dados também da Cidade de Aracoiaba.

Segundo a presidente do inquérito, o motorista do caminhão de coleta de lixo que encontrou o bebê já foi ouvido. "Foi um depoimento importante. Pelo que apuramos até agora, nossa suspeita é que a criança tenha sido deixada em algum ponto de coleta. Isso dificulta ainda mais as investigações, porque o bebê pode ter sido deixado em qualquer camburão de lixo", afirmou a delegada.

Em depoimento, o funcionário da limpeza pública disse que começou a coleta às 11h do domingo. Alguns dos depósitos de lixo que ele faz a coleta ficam às margens da CE-060, o que segundo Arlete Silveira, pode ter facilitado que uma pessoa de outra Cidade tenha apenas abandonado o bebê no local e fugido. "Pode ser que a mãe nem seja de Redenção. Alguns pontos ficam em áreas de passagem, de muito movimento", declarou.

Recorrência

Até o momento, a Polícia não esclareceu se as três mortes de recém-nascidos estão relacionadas, nem em quais circunstâncias ocorreram. Ricardo Pinheiro disse que os casos envolvem muitos fatores que precisam ser averiguados. "Não há testemunhas. O grande ponto destas investigações é tentar elucidar quem são as mães dessas crianças e nós estamos fazendo diligências com esse objetivo".

Arlete Silveira disse que a recorrência dos casos em poucos dias, nas cidades próximas, chama atenção. "Não podemos dizer que não há uma correlação, mas eu acredito mais em uma infeliz coincidência. Pelo que colhemos até agora, o que parece é que são mães em situação de vulnerabilidade", disse.

Diário do Nordeste