-->

7 de novembro de 2015

Urgente: por falta de pagamento carros pipas podem parar abastecimento de àgua no vale do Jaguaribe


Pipeiros no sufoco. Os proprietários de carros-pipas que abastecem as regiões mais secas do Ceará estão reclamando dois meses de atraso no pagamento dos serviços prestados, e muitos dizem que por conta do atraso estão com dificuldade até para abastecer e podem parar.

O Estado do Ceará é hoje atendido por cerca de mil carros caminhões pipa, verificando-se que as regiões mais críticas são as de Jaguaribe e Canindé.

Cada carro pipa tem a capacidade de conduzir de 8 a 10 mil litros de água, sendo que em média são feitas até quatro viagens por dia. A mensalidade para a cada “pipeiro”, varia entre 8 a 10 mil reais por mês. A maior distância de abastecimento é entre Fortaleza e Canindé, uma vez que Fortaleza é quem abastece aquela região.
O controle do manancial é feito pela Cagece sob fiscalização do Exército Brasileiro. A falta de pagamento poderá suspender o abastecimento.

Ely Aguiar