-->

7 de janeiro de 2016

Fábrica de clonagem de cartões é descoberta em Messejana


A Polícia investiga uma quadrilha que mantinha uma fábrica de clonagem de cartões de crédito no bairro Messejana, em Fortaleza. O local foi fechado pelos investigadores e um homem foi preso em flagrante com aproximadamente 100 cartões e vasto material para interceptação de dados, como os populares 'chupa-cabras'. Um suspeito, apontado como chefe do bando, foi identificado e é procurado.

A quadrilha instalava aparelhos nos caixas eletrônicos com o objetivo de roubar dados como número do cartão, trilha magnética e a senha.

Além do leitor, que era substituído, microcâmeras também foram instaladas em alguns caixas. Os objetos eram disfarçados nos parafusos das máquinas.


A investigação está a cargo da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE).

Conforme o titular da Especializada, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, o grupo já vinha agindo clonando cartões desde, pelo menos, o mês de outubro de 2015.

Denúncias recebidas pela Delegacia na última semana do ano passado, antes do Réveillon, indicaram onde seria a fábrica de cartões da quadrilha.

A equipe da DDF, sob o comando do inspetor Paulo Florentino, foi ao endereço indicado e observou a movimentação suspeita no imóvel, localizado na Rua Santa Ângela, bairro Messejana. Na manhã da última terça-feira (5), após as averiguações, foi realizada a abordagem ao homem que costumava entrar e sair da casa todo dia.

"O suspeito chegava na casa, que não tinha nada dentro, servia apenas como fábrica de cartões, e ficava um tempo lá, montando os aparelhos. Às vezes, havia movimento de carros e pessoas. No fim da tarde, ia embora. Na terça-feira, ele chegou às 10h. Por volta das 13h ele saiu e foi abordado. Dentro da casa, havia vários cartões clonados, quase 100, além de diversos equipamentos eletrônicos", disse o delegado.

Conforme as investigações, Antônio Soares Temóteo, de 31 anos, preso em flagrante pelos agentes da DDF, teria alugado o imóvel e seria responsável por montar os 'chupa-cabras' nos caixas eletrônicos. Imagens de câmeras de segurança de agências bancárias mostram o homem também sacando dinheiro.

De acordo com a Polícia, Temóteo age em parceria com outras pessoas. No entanto, o chefe do grupo criminoso seria um homem nomeado por ele como 'Júnior', mas que já tem a identificação completa nas mãos dos policiais.

"Estamos agora tentando identificar os demais componentes da quadrilha, pois a gente sabe quem é que comanda. Estamos fazendo pedidos de prisão preventiva", afirmou.

Produção

Chama a atenção a diversidade de cartões de crédito utilizados pela quadrilha. Somente na apreensão, havia documentos de, pelo menos, quatro agências bancárias diferentes.

Entretanto, os falsários não tinham grandes preocupações com a estética. Em muitos cartões, um olhar mais atento percebe a grosseria da cópia.

Os cartões utilizados para sacar dinheiro eram diversos: de sócio-torcedor de time de futebol; de clube aquático; do sistema de saúde de uma cidade do interior de São Paulo; cartão presente de supermercado.

Além disso, os nomes impressos nos cartões eram, no mínimo, curiosos. Em 13 deles, o titular do documento era nomeado como "Santos Santos Os Santos". Em outros tantos, estava impresso "Souza T Souza".

Conforme as investigações, os saques eram realizados em grandes quantidades e em curto espaço de tempo. Pelo menos, uma dezena deles foi feita apenas em um intervalo de três horas e 35 minutos. O valor levado foi de aproximadamente R$ 65 mil, conforme a Polícia.

"Já identificamos algumas das vítimas pelos registros dos Boletins de Ocorrência. O material vai para perícia, para serem lidas as trilhas dos cartões e identificados os titulares", concluiu.

Diário do Nordeste