-->

31 de dezembro de 2015

Postos podem não funcionar no dia 1º de janeiro


Quem deixar para abastecer o veículo no primeiro dia do ano pode encontrar os postos de gasolina fechados no Estado. A polêmica sobre o funcionamento destes estabelecimentos voltou à tona, dessa vez, tendo como alvo o feriado de 1º de janeiro. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis do Ceará (Sinpospetro-CE), os postos não têm autorização para funcionar neste feriado, enquanto o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE) garante que o funcionamento será normal na sexta-feira.

Segundo o presidente do Sinpospetro-CE, Ardiles Arrais, a convenção coletiva da categoria vence hoje, e como não houve acordo com o sindicato patronal, não existe nenhum acordo sobre o funcionamento dos postos no feriado. "Não há autorização para funcionar no dia 1º. Os postos que abrirem serão autuados e multados pelo Ministério do Trabalho e ação judicial. 

No dia de São José ocorreu esse mesmo problema, e os postos tiveram que fechar", lembra o presidente do sindicato.

A fiscalização do cumprimento da medida nos estabelecimentos, afirma Arrais, será feita pelo próprio Sinpospetro e pelo Ministério do Trabalho. "Os postos que funcionarem vão estar descumprindo a lei e duas decisões judiciais", reforça.

Sindipostos nega decisão

O Sindipostos-CE, porém, nega a informação, afirmando que todos os postos de gasolina devem funcionar normalmente nesta sexta-feira em todo o Estado. Em nota enviada à imprensa, a entidade enfatizou que "os postos cumprirão as normas da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e funcionarão normalmente" no dia 1º de janeiro.

A reportagem entrou em contato com três proprietários de postos de gasolina e todos confirmaram a informação do Sindipostos-CE, garantindo o funcionamento dos estabelecimentos nos dias 31 de dezembro e no feriado posterior.

Em março deste ano, o a abertura dos postos no dia de São José, feriado estadual, foi também alvo de desentendimento entre os sindicatos patronal e laboral do setor. A decisão final foi pelo não funcionamento dos estabelecimentos durante o feriado, por falta de acordo.

Diário do Nordeste