-->

21 de fevereiro de 2017

Prefeito de Aracati enfrenta protestos da população e sai vaiado da Câmara

A grave crise na Saúde do Município pode levar ao fechamento de um hospital a partir de 1º de março

Bismarck saiu correndo da Câmara dos Vereadores e não falou com a Imprensa 

Criticado pela falta de diálogo, o prefeito do Município de Aracati (a 149Km de Fortaleza), Bismarck Maia, enfrenta reprovação da população e foi intensamente vaiado enquanto discursava na abertura dos trabalhos da Câmara dos Vereadores.  

O prefeito falava sobre manter um diálogo aberto com a comunidade e com os poderes constituídos, quando manifestantes que protestaram momentos antes nas ruas pelo não fechamento do Hospital Santa Luísa, o vaiaram.  A unidade de Saúde deverá ser fechada pela Prefeitura Municipal, que alega falta de recursos para mantê-la em funcionamento.

As vaias, que foram levadas numa boa pelo prefeito, vieram após uma tímida manifestação de apoio ao gestor. "Que ninguém tire o rumo, que ninguém volte mais ao passado, que não volte nunca mais a desmandos administrativos que fizeram com que o povo de Aracati hoje sofra pela consequência do descaso, do desmantelo, da irresponsabilidade, da negligência, da corrupção que levou o Aracati à situação que está", disse Bismarck.

Saiu correndo

O presidente da Câmara, vereador Valdy Menezes, fez um apelo à direção do Hospital Santa Luísa para que não feche as portas no dia 1º de março, e se comprometeu com os funcionários e a direção do hospital a reabrir nova rodada de negociação com o prefeito. Bismarck não falou com a imprensa depois da sessão. Saiu correndo do local e levou mais vaia.