-->

3 de setembro de 2016

Dois senadores pró-impeachment admitem: não houve crime de Dilma


Acir Gurgacz (PDT/RO) e Telmário Mota (PDT-RR), sugerido por Franco Atirador