-->

24 de setembro de 2014

Fortaleza-CE: Estrangeiro era membro de quadrilha presa pela PF


Sete homens foram presos em operação da Polícia Federal (PF) realizada na noite da última segunda-feira (22), que resultou ainda na apreensão de aproximadamente 2,5 toneladas de maconha escondida em um caminhão no bairro de Messejana, na Capital. A droga chegou a Fortaleza vindo do Mato Grosso do Sul.

Dentre os presos, três cearenses, sendo um fortalezense e dois nascidos em Massapê; um paulista; um paranaense; um norte rio-grandense e um estrangeiro, que se identificou aos policiais como venezuelano. O documento de identificação apresentado pelo estrangeiro, contudo, era falso, segundo informações da Polícia Federal.

Os detalhes da operação foram apresentados na tarde de ontem na sede da Superintendência Regional da PF no Ceará. Os delegados Renato Casarini Muzy, superintendente regional da PF; Wellington Santiago da Silva, titular da Delegacia Regional de combate ao Crime Organizado; e Yuri Dantas de Santana, que atua na Delegacia de Repressão a Entorpecentes, explicaram ainda que o líder do grupo, apontado como proprietário da droga, também foi capturado.

Investigações

Os trabalhos investigativos dos policiais federais que culminaram nas prisões e apreensões da operação de segunda-feira começaram, segundo o delegado Yuri Dantas, ainda durante a Copa do Mundo, em Fortaleza.

"Apreendemos 140 quilos de maconha durante a Copa, e começamos a investigar duas pessoas. Chegamos até a informação do recebimento desta carga e do dono da droga, além da localização. Conseguimos encontrar o caminhão na BR-116, próximo ao posto da Sefaz (em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza)", disse o delegado.

Os policiais, então, seguiram em sigilo o caminhão até o bairro de Messejana, em Fortaleza, onde o motorista se encontraria com o receptador da droga.

"Quando não foi mais possível uma aproximação velada do caminhão sem sermos notados, a abordagem ao veículo foi feita, já próximo ao local onde seria feita a entrega da droga. Dentro do transporte estavam o motorista, com a namorada, e o gerente da quadrilha. Um outro carro apareceu, com os dois seguranças do grupo", explicou.

As cinco pessoas foram detidas. A mulher, natural de Mato Grosso do Sul, foi posteriormente liberada, por não ter sido identificada sua participação no esquema criminoso.

Na sequência da ação policial, o galpão onde a droga seria entregue foi também abordado pelos agentes. No local, outros dois homens também foram presos. Ainda no endereço, foram apreendidas uma balança de precisão e dois veículos.

Um carro foi visto saindo do local onde ocorreria a entrega da droga. Segundo a PF, era o chefe do bando, apontado como dono da droga, que ao perceber a movimentação na área, se evadiu. Ele foi seguido por policiais e, já na manhã de ontem, foi preso, na residência de uma namorada, em Fortaleza.

Habeas corpus

"Este homem é fortalezense e já foi preso anteriormente por tráfico de drogas. Entretanto, ele foi solto por um desses habeas corpus expedidos durante os plantões de fim de semana. A Justiça, porém, reviu a situação e emitiu um mandado de prisão", explicou o delegado Yuri.

Ao todo, foram apreendidos uma caminhonete Toyota Hilux, uma caminhonete Mitsubishi Triton, um Toyota Corolla e um Volkswagen Voyage, além do caminhão Scania com baú.

Dentro do caminhão, os policiais também encontraram uma pistola Glock 9mm de uso restrito. "Acreditamos que possa haver mais armas escondidas nos volumes apreendidos. Foram contados 136 volumes dentro do caminhão, e em um deles, estava a pistola", disse Dantas.

Dois dos homens presos apresentaram documentos falsos. "Eles responderão, na medida de suas participações, por tráfico interestadual de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo e falsificação de documentos", informou o delegado.

O homem natural de Mossoró, que foi capturado na operação, é conhecido da Polícia potiguar pela participação no tráfico de drogas.

"Essas quadrilhas sempre possuem ramificações em outros Estados. Como um dos membros é conhecido por atuar no Rio Grande do Norte, acreditamos que eles tinham ligação com crimes em outros locais também".

O delegado Wellington ressaltou a importância da prisão da quadrilha para o combate ao tráfico de drogas no Ceará.

"Destacamos o empenho de todos os policiais federais, desde o momento que recebemos a informação até a prisão do grupo, visando reprimir a oferta do entorpecente na Capital. Um dos aspectos dessa operação é descapitalizar a quadrilha. Desenvolvemos investigações para promover o bloqueio de bens da quadrilha, obtidos através de recursos ilícitos", afirmou.

Fonte: Diário do Nordeste