-->

1 de junho de 2018

Policia civil de Russas captura foragido da justiça de Rondônia


Policiais Civis lotados na 11ª Delegacia Regional de Russas, , capturaram o foragido da Justiça do Estado de Rondônia, trata-se do Senhor FRANCISCO ELMAR DA SILVA, de alcunha "REAL", natural de Jaguaruana, contra o mesmo consta três mandados de Prisão Preventiva da Justiça do Estado de Rondônia, na Região Norte do Pais.

Francisco Elmar da da Silva, vulgo "REAL", estava residindo em Russas, no médio Jaguaribe, se passando pela pessoa de Juscelino Nogueira, após investigação dos policias civis de Russas, foi constatado que o verdadeiro Juscelino Nogueira reside na Cidade de Jaguaruana, e após da confirmação de todas as informações necessários, se deu a prisão do mesmo.

O mesmo deverá ser recambiado para a Delegacia de Capturas e Polinter na capital do Estado, para que o mesmo seja transferido para o Estado de Rondônia, para que cumpra sua divida perante a justiça daquele estado.
A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna
Blog;

É o sétimo mandado cumprido nos últimos 10 dias, entre eles prisões de estrupadores, assaltantes, presos por quebra de regime e prisões cíveis

Bandidos atacam agência do BB em Maranguape e fazem reféns, mas acabam presos



Um dos criminosos entrou na agência usando paletó e gravata. Os comparsas o seguiram e o bando anunciou o assalto. A Polícia cercou rapidamente a agência e foi os criminosos a se entregarem, mesmo com a ameaça de bombas

Três homens foram presos na manhã desta sexta-feira (1º) durante uma tentativa de assalto contra a agência do Banco do Brasil da cidade de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Os criminosos fizeram reféns e ameaçaram explodir o prédio diante do cerco montado pela Polícia Militar. Equipes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), do  Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), fazem neste momento uma varredura tática no prédio em busca dos supostos artefatos colocados ali pelos assaltantes.

Ao menos, três dos integrantes da quadrilha já estão presos pela PM e deverão ser encaminhados, logo mais, para a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), onde serão autuados em flagrante. A Polícia, no entanto, permanece em diligências na tentativa de localizar o restante da quadrilha.  A PM informa também que armas de fogo foram apreendidas durante o cerco na agência bancária. Foram três pistolas de diferentes calibres.

Chamou a atenção da Polícia a forma como os criminosos entraram no banco, sem levantar nenhuma suspeita. Um deles vestia terno e gravata e teria sido o responsável por anunciar o ataque. Os comparsas logo apareceram e renderam clientes e funcionários da agência, assim como os vigilantes que fazem a segurança no local.

O assalto parou o Centro da cidade de Maranguape nesta manhã de sexta-feira. Dezenas de viaturas da PM (do Policiamento Ostensivo Geral/POG, do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual/BPRE e do Batalhão de Polícia de Choque/BPChoque) cercaram a agência e os militares  passaram a negociar com os criminosos para que estes liberassem os reféns e se rendesse,. Foram momentos de tensão. Mas, percebendo que não teriam como fugir do local, os assaltantes se entregaram. Cleintes passaram mal, mas, segundo a Polícia, ninguém ficou ferido.

Em uma semana, ao menos quatro ataques bancários foram registrados no Ceará, veja abaixo as ocorrências:

1 (segunda-feira/28 de maio) – Bandido tentam roubar malotes de um carro-forte da empresa Brink’s que ia abastecer caixas eletrônicos no Shopping Avenida, em plena Aldeota. Houve tiroteio e duas pessoas ficaram feridas. O ataque foi frustrado e quatro bandidos acabaram presos.

2  (segunda-feira/28 de maio) – Quadrilha fortemente armada atacou e explodiu na BR-222, na localidade Frios, em São Luís do Curu (a 88Km de Fortaleza), um carro-forte da empresa Prosegur.  A explosão foi tão forte que destruiu por completo o blindado.

3 (quarta-feira/30 de maio) – Bandidos interceptam na BR-116, na altura do Triângulo de Chorozinho/Barreira, um carro-forte da empresa Prosegur, rendem os vigilantes mas acabam descobrindo que no veículo não havia dinheiro. Eles fugiram e, logo depois, assaltaram um correspondente bancário na cidade de Acarape (54Km de Fortaleza). Houve perseguição policial nas estradas da região e um dos assaltantes acabou morto numa troca de tiros com a Polícia, em Pacajus. Um fuzil foi localizado e apreendido.

4 (sexta-feira/1º de junho) – Bandidos tentam assaltar a agência do Banco do Brasil da cidade de Maranguape, mas acabam presos no cerco que a PM montou no local

Red; Ceara News


MORO MANDA SOLTAR OPERADOR DO MDB E RÉU CONFESSO DA LAVA JATO


Lula Marques/Agência PT

Sérgio Moro mandou soltar Mário Miranda, apontado como operador de propinas do MDB e réu confesso da Lava Jato; Miranda foi o alvo principal da Operação Dejà Vu, 51ª fase da Lava Jato, e confessou crimes e colocou à disposição da Justiça o equivalente a US$ 7,2 milhões em valores repatriados que estavam depositados em bancos na Suíça

1 DE JUNHO DE 2018 ÀS 17:09  Brasil 247


QUEDA DE PARENTE É A MAIOR DERROTA DO GOLPE ATÉ AGORA



O líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (RS), disse, em um vídeo divulgado nas redes sociais, que a saída de Pedro Parente da presidência da Petrobras "é a maior derrota do golpe até agora"; ainda segundo ele, "é preciso avançar mais. Temos que derrotar a política de preços da Petrobras e continuar a mobilização e a luta contra o "golpe"; "Temos que avançar, continuar mobilizados, continuar com o Fora Temer, contra o golpe, recuperar a democracia e recuperar a Petrobras para todos os brasileiros", afirmou

Brasil 247


Homicídio a bala é registrado no Residencial Rachel de Queiroz, em Quixadá


Um homicídio a bala foi registrado na manhã deste 1º de junho no município de Quixadá, o crime aconteceu no Residencial Rachel de Queiroz. Este é o primeiro homicídio registrado no novo bairro da Terra dos Monólitos.

Segundo as primeiras informações, um homem armado chegou na garupa de uma motocicleta e efetuou vários disparos contra a vítima que foi identificado como Francisco Everardo Nogueira Nobre. O acusado fugiu logo em seguida em direção ao Cedro Velho. 
Ainda não há informações sobre a identificação da vítima.
Maiores informações a qualquer momento.

ARACATI. PRISÃO POR TRAFICO DE DROGAS -


Ontem dia 31/05/2018, por volta das 10 h 30 min, após denuncia via 190, informação de populares que na Rua Duque de Caxias bairro Várzea da Matriz, estava ocorrendo grande movimentação de trafico de drogas, que as composições Raio 039 juntamente com o Moto patrulhamento  foram ao local averiguar o fato, que se encontrava na residência a pessoa: CLAUDENISE MOURA DA COSTA29 anos, moradora do endereço já citado. A mesma permitiu a entrada da composição na casa e após uma vistoria, foi encontrado – 30,7 g de Crack; 16,7 g de cocaína; um celular L G preto e vários sacos para embalar a droga. A Senhora foi conduzida para Delegacia de Aracati e apresentada para autoridade competente, onde foi realizado o flagrante pelo trafico de drogas, Artigo 33, Lei 11.343/206.

Blog; 

Desembargadora tem contas bloqueadas por ministro do STJ



Herman Benjamin negou a liberação das contas de Sérgia Miranda, investigada por venda de liminares

A desembargadora Sérgia Maria Mendonça Miranda, uma das acusadas de envolvimento no suposto esquema de venda de liminares nos plantões do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), teve a remuneração e parte dos bens bloqueados pela Justiça, sem conseguir reavê-los. A decisão, proferida no último dia 14, é do ministro Herman Benjamin, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), relator dos processos relativos à investigação da Polícia Federal (PF), denominada "Expresso 150", que apura a comercialização de habeas corpus no Poder Judiciário estadual envolvendo magistrados, advogados e criminosos.

Nos embargos da acusada, a desembargadora havia pedido restituição dos salários recebidos nos meses de abril e maio de 2018 ressaltando a necessidade da própria subsistência, além do desbloqueio de uma conta corrente no Banco do Brasil, cujo valor retido pela Justiça é de R$ 142.013,42.

O dinheiro e os bens de Sérgia Miranda haviam sido sequestrados pelo STJ desde o dia 17 de abril deste ano. Na ocasião, além do valor disponível na conta corrente, foram bloqueados ainda R$ 63.369,18 relativos aos vencimentos da magistrada afastada do TJCE. A desembargadora defendeu que as quantias são fruto de atividade lícita por ser parte proveniente de trabalho e parte de empréstimo tomado junto ao banco público.

Manifestação

O Ministério Público Federal (MPF) foi questionado pelo ministro relator a manifestar-se sobre os embargos de Sérgia Miranda. O Órgão opinou pela liberação dos proventos mensais da magistrada, sem considerar o desbloqueio dos valores relativos ao empréstimo junto ao Banco do Brasil "tendo em vista não haver vínculo demonstrado entre a suposta importância tomada a título de empréstimo com a sua necessidade de subsistência", escreveu.

Na decisão, o ministro Herman Benjamin considerou que, com relação ao mês de abril havia sido sequestrado do salário de Sérgia Miranda R$ 21.462,61; contudo, ela havia tirado valores superiores no dia em que o salário havia caído em sua conta, "dessa forma, não há nada a ser restituído com relação a esse mês", pontuou.

No tocante ao mês de maio, a desembargadora deveria receber R$ 19.977,39, que, segundo ela também foram atingidos pela decisão judicial do bloqueio de valores. Entretanto, Herman Benjamin ponderou não ser possível verificar a veracidade da afirmação da acusada uma vez que a única prova apresentada por ela seria a captura de tela de um celular, sem identificação de conta ou titularidade. "Portanto, não há prova de que tenha havido construção sobre o valor creditado pela fonte pagadora em maio de 2018, é inviável o exame da possibilidade de desbloqueio", afirmou o ministro, ao ressaltar que os pedidos podem ser refeitos por ela com as devidas documentações.

Com relação à conta na qual continha o empréstimo com o Banco do Brasil, Herman Benjamin também julgou a ação improcedente, mas porque não conseguiu relacionar com as provas dispostas pela desembargadora. Segundo o ministro, o valor bloqueado no dia 17 de abril não corresponde ao mesmo disposto no contrato de empréstimo.

Liberação

Por outro lado, o desembargador Francisco Pedrosa Teixeira e sua esposa Emília Maria Castelo Lira conseguiram recuperar valores de uma decisão da Justiça se utilizando da argumentação de que o dinheiro tem origem lícita.

De Emília Maria foram sequestrados R$ 943,77, relativos ao aluguel de um imóvel; do magistrado, foram retidos R$ 1.787,84, advindos de valores salariais; ambos conseguiram reaver as quantias por ordem do ministro Herman Benjamin. Contudo, o ministro ressaltou que "não houve ordem de bloqueio de contas, tal como afirmaram. Houve, sim determinação de sequestro de quantias em depósito, na data da execução da medida", pontuou. Mesmo afastada, a desembargadora Sérgia Miranda continua recebendo o salário integralmente, além do auxílio moradia, garantido pelo plenário do Tribunal de Contas do Estado (TCE), em outubro de 2017. Na época, o parecer foi tomado pelo relator do caso, Paulo César de Souza, e questionado pelo procurador do Ministério Público de Contas (MPC), Gleydson Alexandre, o qual disse ter faltado "bastante técnica" na decisão.

Considerado o maior escândalo de corrupção do Poder Judiciário cearense, quatro dos cinco desembargadores citados na investigação da PF respondem a processos no STJ sobre o caso. Além de Sérgia Miranda e Francisco Pedrosa, Carlos Rodrigues Feitosa e Váldsen da Silva Alves Pereira são os outros desembargadores investigados na Operação "Expresso 150". O quinto magistrado citado, Paulo Camelo Timbó, teve o processo transferido para a 1ª Instância do Ceará, após se aposentar.

Dois juízes da 1ª Instância também foram alvos de outras fases da "Expresso 150". Depois de citados nas investigações, eles solicitaram aposentadoria ao Tribunal de Justiça do Ceará, que concedeu o benefício. Um deles, morreu no fim de março deste ano

Red; DN


Consumidor pagará mais por energia em junho


Image-0-Artigo-2407751-1

Redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas é justificativa para elevar a cobrança da taxa

Brasília/São Paulo. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que as contas de luz terão a bandeira vermelha em seu segundo patamar no mês de junho. Com a bandeira vermelha 2 neste mês, a tarifa terá um adicional de R$ 5 a cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. No mês passado, vigorou a bandeira amarela, que adicionava R$ 1 a cada 100 kWh.

Segundo a Aneel, o início da seca levou à redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas, especialmente na Região Sul, e ao aumento do preço da energia no mercado à vista. O nível dos reservatórios e o preço da energia são os dois indicadores que determinam a cor da bandeira. O órgão regulador destacou ainda que a previsão de chuvas para junho está mais baixa que a média histórica.

O sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo da energia gerada e tem o objetivo de possibilitar aos consumidores o uso consciente.

Na bandeira verde, não há cobrança de taxa extra. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. No primeiro patamar da bandeira vermelha, o adicional é de R$ 3 a cada 100 kWh. E no segundo patamar da bandeira vermelha, a cobrança é de R$ 5 a cada 100 kWh.

A TR Soluções, empresa especializada em tarifas de energia, prevê que a bandeira vermelha no patamar 2 permaneça nas contas de luz até novembro, durante todo o período seco. A projeção da companhia é que a bandeira só volte para o nível amarelo em dezembro.

Impacto na inflação

A adoção da bandeira vermelha 2 terá impacto relevante na inflação. Nos cálculos dos economistas consultados pela reportagem, esse encarecimento significa um impacto de 0,28 a 0,33 ponto porcentual no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Surpreendido pela decisão da Aneel, Fábio Romão, da LCA Consultores, por exemplo, elevou sua previsão para o IPCA de junho de 0,47% para 0,58%. Ele esperava a bandeira vermelha para o custo da energia, mas no nível 1, e não no patamar 2.

Reajustes

Antes do sistema de bandeiras tarifárias, o custo da energia era repassado às tarifas uma vez por ano, no reajuste anual de cada empresa. Como as distribuidoras bancavam esse custo ao longo do ano, quando o gasto era repassado para a conta de luz, havia incidência da taxa Selic.

Agora, esse custo é cobrado mensalmente e permite ao consumidor adaptar seu consumo e evitar sustos. A Aneel deve anunciar a bandeira tarifária que vai vigorar em julho no dia 29/6.

Red; DN