-->

2 de fevereiro de 2020

Bolsonaro anuncia fábrica “que extraí água do ar


Fábrica israelense que extrai água do ar será construída no Brasil.” O anúncio é do presidente Jair Bolsonaro, feito pelo Twitter. Segundo ele, a iniciativa é “mais uma via de enfrentamento da falta de água no Nordeste, além da dessalinização, poços artesianos e [Rio] São Francisco.”


Além de água, o presidente da República acredita que “o empreendimento também criará empregos e desenvolvimento da região.”

Parcerias com Israel para melhorar o abastecimento de água na região Nordeste são defendidas por Jair Bolsonaro desde a transição para o seu governo. Há um ano, o ministro Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) viajou para Israel com equipe de técnicos para conhecer experiências de reuso e dessalinização de água.

Em novembro do ano passado, técnicos e dirigentes da Agência Nacional de Águas estiveram em Israel para discutir memorando de entendimento sobre gestão de recursos hídricos, águas residuárias, gerenciamento de esgotos, além de reuso e dessalinização de água.

O projeto contará com parceria israelense.

(AgBr)


Julgamentos de deputados federais no TRE agitam os bastidores da política cearense

Placar do caso Genecias Noronha no TRE-CE está 3 a 1 a favor da acusação
Foto: Thiago Gadelha

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) deve julgar ainda neste mês duas ações que tramitam na Corte a respeito das Eleições de 2018 e que envolvem personagens importantes da política cearense.

Os casos são referentes ao uso da máquina administrativa de prefeituras para supostamente favorecer candidaturas nas eleições passadas, mas os seus reflexos podem cair como uma bomba nas articulações para 2020 diante da gravidade e de implicações que as decisões judiciais podem ter. Não é à toa que todas as atenções da política estão voltadas para os julgamentos de dois deputados federais cearenses: Genecias Noronha (SD) e Pedro Bezerra (PTB).

Os dois casos envolvem não só os parlamentares, mas dois fortes grupos políticos do Interior. Um da região dos Inhamuns, no caso de Genecias, cujo irmão, Filho Noronha, é prefeito do município de Parambu. O parlamentar, que tem a esposa Aderlânia como deputada estadual, exerce ainda liderança em diversos municípios da região.

Já Pedro Bezerra é filho do prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra (PTB), que buscar viabilizar uma candidatura à reeleição em outubro em um dos principais colégios eleitorais do Estado e onde haverá uma intensa disputa pelo poder político municipal dentro e fora da base de apoio do grupo governista no Ceará.

Investigação

O caso de Genecias, que tramita no TRE-CE, aliás, está agitando os bastidores da política cearense, com contornos que envolvem até interesses nacionais de dois partidos com representação no Congresso Nacional.

O parlamentar e a esposa, Aderlânia Noronha, estão sendo acusados pela Procuradoria Regional Eleitoral em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral por suposto uso de eventos e atos da Prefeitura de Parambu, além de publicações nos canais institucionais do Município, para um suposto favorecimento das duas candidaturas. O MP pede a cassação dos mandatos de ambos e a inelegibilidade por oito anos. No processo, os parlamentares negam as acusações.

Julgamento

Em dezembro do ano passado, o caso começou a ser julgado no pleno do TRE-CE. No momento, a votação está 3 a 1 favorável à acusação. O relator do caso, desembargador Inácio de Alencar Cortez, votou pela procedência da acusação e foi acompanhado por Francisco Eduardo Scorsafava e Roberto Viana. O juiz David Sombra Peixoto abriu a divergência e votou contra a ação, acatando os argumentos da defesa de Genecias.

Como o pleno é composto por sete membros, o caso está se aproximando de um desfecho. Está nas mãos do juiz federal José Vidal a decisão do caso, neste momento. Se ele votar a favor da denúncia, forma maioria. Além dele, o juiz substituto Erico Silveira e o presidente da Corte, desembargador Haroldo Máximo, ainda devem votar.

Desdobramentos

O julgamento tem os olhos atentos de toda a política cearense e até de agentes nacionais. A ação se tornou uma disputa entre os partidos Solidaridade, ao qual Genecias está filiado, e o Republicanos, antigo PRB. Mesmo que o TRE-CE decida pela condenação, o caso vai parar no Tribunal Superior Eleitoral, pois cabe recurso. O que gera o embate entre as agremiações é o fato de que, na hipótese de cassação, Ronaldo Martins, do Republicanos, assumiria a cadeira de titular na Câmara Federal.

A composição das bancadas no Legislativo Federal é o parâmetro para a distribuição da verba do fundo eleitoral, o que torna o caso ainda mais relevante. Uma cadeira a mais no Legislativo significa mais poder e também mais recurso para uso nas campanhas.

Habeas corpus

Estão cercadas de expectativas as próximas sessões do TRE-CE nos dias 10 e 12 de fevereiro, quando a ação deve ir à julgamento. Deve vir à votação também em uma dessas sessões um pedido de habeas corpus preventivo apresentado pela defesa do deputado federal Pedro Bezerra em uma outra ação que o mundo da política observa com bastante cuidado.

O parlamentar é acusado, também pela Procuradoria Regional Eleitoral, de uso da máquina administrativa de Juazeiro do Norte, governada pelo pai, para benefício da sua candidatura em 2018. A defesa do parlamentar nega. E o habeas corpus pretende resguardar os direitos do parlamentar. No pedido, diz a defesa do parlamentar para justificar o pleito: "quem se vê na iminência de sofrer coação em sua liberdade de locomoção, por mais que esta coação ainda não tenha efetivamente ocorrido, também terá direito de impetrar habeas corpus, na modalidade preventiva". O TRE-CE deve julgar o pedido também nos próximos dias.

Fonte; DN

PF apreende R$ 39 milhões provenientes de ações criminosas no Ceará

As apreensões realizadas por agentes da Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará cresceram 60% comparados os anos de 2018 e 2019. No Brasil, como um todo, também foi observado um aumento no índice
Dentre os veículos apreendidos pelos policiais, há carros de luxo
Foto: Emanoela Campelo de Melo



Por trás de grandes esquemas criminosos, geralmente, estão cifras milionárias. A intensa movimentação financeira no 'mundo ilegal' é o que atrai muitos a cometerem crimes. Para a Polícia Federal, há uma diretriz que deve ser priorizada: descapitalizar estas quadrilhas. Nos últimos dois anos, só no Ceará, a PF apreendeu, aproximadamente, R$ 39 milhões que, segundo o órgão, eram de origem ilícita.

O valor é soma das apreensões realizadas em 2018 (R$ 15 milhões) e 2019 (R$ 24 milhões). Comparados os dois períodos, dentro de um ano houve aumento de 60%. As apreensões chegam à cifra milionária por incluir bens, como barcos, carros de luxo, imóveis e joias, além dos ativos financeiros, como bloqueios das contas bancárias dos envolvidos.


O delegado Paulo Henrique Oliveira, titular da Delegacia de Combate ao Crime Organizado da Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará esclarece que parte deste valor veio a partir de bens provenientes do tráfico de drogas. Só com relação a este crime foram apreendidos R$ 605 mil em 2018 e R$ 879 mil em 2019, em todo o Estado.

No último dia 17 de janeiro, o ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sérgio Moro, divulgou por meio de uma rede social que, no ano passado, a PF totalizou R$ 653 milhões em patrimônio apreendido a partir do tráfico de drogas. O número foi 44% maior do que o sequestro contabilizado em 2018. Na publicação, Moro destacou que "o crime não pode compensar". Ele ainda prevê que com a introdução da Lei 13.886 do confisco alargado (confisco amplo do patrimônio de profissionais do crime) os números devem aumentar.

Operações

Paulo Henrique afirma que comparado a estados do Brasil que estão próximos às fronteiras, os números do Ceará não se destacam. Contudo, segundo o delegado, em 2019, na região Nordeste, o Estado foi o terceiro com maior valor de bens apreendidos relacionados ao tráfico.

"Nos locais que fazem fronteira há fluxo de veículos e aeronaves maior do que comparado ao Nordeste. Atualmente, a principal diretriz da Polícia Federal, no tocante à repressão a criminalidade organizada, e nisto se inclui o tráfico de drogas, é a descapitalização das quadrilhas. É buscar o patrimônio. Os números no País como um todo aumentaram bastante e a previsão é que cresçam ainda mais. Buscamos o patrimônio destas quadrilhas para evitar algo que durante muito tempo ocorreu: muitas pessoas eram presas e quando voltavam à liberdade, continuavam as atividades criminosas se utilizando do patrimônio que tinham. Sem o patrimônio dificulta o retorno deles às atividades criminosas", disse o delegado.

De acordo com o titular da Delegacia de Combate ao Crime Organizado da Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará, há bens apreendidos de todas as facções que atuam no Estado. Paulo Henrique acrescenta que os agentes vêm conseguindo realizar grandes operações para combater as facções e efetuar prisões de lideranças em âmbito nacional.

Dentre as operações realizadas em 2019 no Ceará, o delegado cita a 'Reino de Aragão', realizada em dezembro, e a Operação 'Dínamo', em abril. A 'Reino de Aragão' resultou nas prisões de quatro suspeitos que estiveram à frente da onda de ataques criminosos ocorrida no último mês de setembro, no Ceará. Ao todo, foram expedidos 31 mandados de prisão preventiva e 20 de busca e apreensão.

As diligências da 'Dínamo' também aconteceram com intuito de desarticular um grupo criminoso. Os alvos dessa outra operação foram suspeitos responsáveis por ataques com explosivos a torres de transmissão de energia da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em Fortaleza e Maracanaú.

Fonte; DN


WhatsApp para de funcionar em alguns celulares a partir de hoje; veja quais

Aplicativo perde compatibilidade com sistemas operacionais antigos.
Já faz alguns anos que o WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais utilizado no Brasil e é quase impossível encontrar alguém que não tenha o app instalado em seu celular.

No entanto, a partir de hoje (1º), alguns usuários podem não ter mais acesso a ele. Isso porque o mensageiro vai perder a compatibilidade com sistemas operacionais mais antigos.

Aqueles que utilizam Android 2.3.7 e iOS 8, além de versões anteriores, não conseguirão mais utilizar o aplicativo. Proprietários de celulares com o sistema Windows Phone já não podem mais utilizar o app desde o dia 31 de dezembro.

Segundo comunicado oficial, o WhatsApp é compatível com celulares com Android 4.0.3, iPhone com iOS 9 e aparelhos selecionados com KaiOS 2.5.2, além das versões mais recentes desses sistemas operacionais.

Quais celulares perderão o WhatsApp?

Hoje, o aplicativo não vai mais funcionar em celulares com os seguintes sistemas operacionais:

- Android 2.3.7 e versões anteriores
- iOS 8 e versões anteriores

(Olhar Digital)