-->

Siga-nos no Facebook

25 de fevereiro de 2018

Temer nomeia a cearense Virgínia Prado Soares desembargadora do TRF-3



O presidente Michel Temer nomeou nesta quinta-feira (22/2) a procuradora regional da República Inês Virgínia Prado Soares para o cargo de desembargadora do Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Ela ocupará uma das vagas destinadas ao quinto constitucional do Ministério Público Federal na corte, na vaga da desembargadora Cecília Mello, que aposentou em agosto de 2017.

A nomeação foi rápida. O TRF-3 definiu a lista tríplice dos candidatos a ocupar a vaga, a enviou à Presidência da República, que fez a nomeação, tudo nesta quinta. A procuradora recebeu 36 votos e foi a mais votada. Além dela, também estavam na lista os procuradores da República Ricardo Nakahira e Rafael Pretto.

Inês Prado Soares é membro do MPF desde 1997 e foi promovida a procuradora regional em 2012, por merecimento. Foi coordenadora do Núcleo de Ofícios Criminais da Procuradoria da 3ª Região e atuava na 5ª Turma do TRF-3. É doutora em Direito pela PUC de São Paulo, com pós-doutorado no Núcleo de Estudos de Violência da USP (NEV-USP).

Trajetória

Inês Virgínia Prado Soares é membro do MPF desde 1997 e atua na PRR3 desde 2012, quando foi promovida por merecimento ao cargo de procuradora regional da República. No segundo grau, sempre oficiou em matéria área criminal, exercendo, atualmente, a coordenação do Núcleo Criminal da PRR3, sendo também a representante da 2ª Câmara de Coordenação de Revisão do Ministério Público Federal junto à unidade.

Como procuradora regional da República, foi membro, no biênio 2014-2016, do Núcleo de Assessoramento Operacional da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão da 3ª Região (NAOP3), responsável pela revisão dos procedimentos de cidadania do primeiro grau. Integra dois Grupos de Trabalho nacionais, o GT Povos Indígenas e Regime Militar da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão e o GT Patrimônio Cultural da 4ª Câmara de Coordenação e Revisão.

Cearense, é casada com Maurício Barreto Campos, com quem tem dois filhos, Gabriela Soares Campos, de 27 anos, e Marcelo Soares Campos, de 18 anos. Em 1986, ingressou no curso de Direito na Universidade Federal de Sergipe, onde cursou o primeiro ano de faculdade. Graduou-se em Direito pela Universidade Federal do Ceará, em 1990. Na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, obteve os títulos de mestre (2001) e doutora (2007) em Direito das Relações Sociais. Realizou pesquisa de pós-doutorado no Núcleo de Estudos de Violência da Universidade de São Paulo NEV-USP (2009-2010), sob supervisão do Diplomata e Prof. Dr. Paulo Sérgio Pinheiro.

Foi finalista do Prêmio Jabuti na categoria Direito com o livro Direitos Humanos Atual, coordenado em conjunto com Flávia Piovesan. É autora de três livros: Proteção Jurídica do Patrimônio Arqueológico no Brasil, Habilis Editora, 2007; Direito ao (do) Patrimônio Cultural Brasileiro, Editora Fórum, 2009; e Crimes contra os Bens Culturais, selo Planeta Verde, 2017. Coordenou diversas coletâneas jurídicas.

Fonte: Folha Cearense